CMN não vota R$390 mi para café, mas Agricultura garante recurso

sexta-feira, 28 de junho de 2013 21:28 BRT
 

SÃO PAULO, 28 Jun (Reuters) - O Conselho Monetário Nacional não votou a liberação de 390 milhões de reais para auxiliar produtores de café, como era aguardado para esta sexta-feira, mas o Ministério da Agricultura afirma que os recursos estão garantidos.

O ministro da Agricultura tenha dito no início da semana que o assunto estaria na pauta da reunião do Conselho nesta sexta-feira.

Uma portaria interministerial tratando do assunto ainda está sendo redigida, disse à Reuters o secretário de Produção e Agroenergia do ministério, João Lages.

"Está sendo conduzido isso aí", disse ele, na noite de sexta-feira, garantindo que na próxima semana haverá definição sobre o assunto.

Embora não tenha dito quando a Agricultura espera a oficialização da liberação dos recursos pelo CMN, Lages foi enfático ao dizer que está garantido o dinheiro para apoiar os produtores, que reclamam de preços muito baixos.

"Não existe dúvida."

Os produtores de café do Brasil têm enfrentado preços internacionais oscilando perto dos menores patamares em quatro anos, em meio à grande safra no Brasil, após uma produção recorde na temporada anterior.

A ideia do governo é realizar leilões de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro), pagando aos produtores a diferença entre o preço de mercado e o preço mínimo oficial, estabelecido em 307 reais por saca.

Atualmente, os preços no mercado brasileiro estão entre 25 e 30 reais por saca abaixo do mínimo.

Mesmo sem ter a liberação dos recursos oficializada pelo CMN, cafeicultores já agendaram para a próxima semana reuniões com a área econômica do governo para discutir como e quais operações serão realizadas.

(Por Gustavo Bonato; com reportagem adicional de Luciana Otoni, em Brasília)