Brasil tem déficit comercial de US$ 3 bi no semestre, pior em 18 anos

segunda-feira, 1 de julho de 2013 18:57 BRT
 

Por Luciana Otoni

BRASÍLIA, 1 Jul (Reuters) - Exportações em queda e importações mais robustas fizeram a balança comercial brasileira fechar o primeiro semestre com déficit de 3 bilhões de dólares, pior desempenho em quase 20 anos, resultado que coloca em xeque o equilíbrio das contas externas brasileiras.

As importações brasileiras atingiram a cifra recorde de 117,516 bilhões de dólares entre janeiro e junho passado, 8,4 por cento a mais do que em igual período de 2012, pela média diária, informou nesta segunda-feira o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Já as exportações somaram 114,516 bilhões de dólares no período, queda de 0,7 por cento pela média diária. Com isso, o resultado comercial do semestre passado foi o pior para o período desde 1995, quando o déficit ficou em 4,227 bilhões de dólares. No primeiro semestre do ano passado, o Brasil registrou superávit de 7 bilhões de dólares.

"O cenário para a balança comercial não é bom. A crise no mundo afeta as exportações de manufaturados e o preço das commodities. Diante das incertezas, até o momento a nossa projeção para 2013 oscila entre um déficit de 5 bilhões de dólares ou um superávit de 5 bilhões de dólares", comentou o presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil, José Augusto de Castro.

O resultado ruim da balança comercial nos primeiros meses do ano levou recentemente o Banco Central a projetar superávit comercial de 7 bilhões de dólares, menos da metade do superávit de 15 bilhões de dólares previsto anteriormente.

No primeiro semestre, o destaque ficou para a conta petróleo, com déficit de 12 bilhões de dólares, um dos principais fatores do elevado déficit da balança no período.

Em junho, especificamente, o saldo de 2,394 bilhões de dólares --acima do esperado pela mediana dos especialistas consultados pela Reuters, com projeção de superávit de 2,05 bilhões de dólares-- foi influenciado positivamente pela exportação de uma plataforma de petróleo no valor de 1,6 bilhão de dólares.

No mês passado, as exportações somaram 21,227 bilhões de dólares, alta de 9,7 por cento, pela média diária das operações, frente a junho de 2012, influenciadas pelo aumento dos embarques de produtos básicos e manufaturados.   Continuação...