Exportação de minério de ferro do Brasil recua no 1º semestre

segunda-feira, 1 de julho de 2013 19:46 BRT
 

SÃO PAULO, 1 Jul (Reuters) - As exportações de minério de ferro do Brasil tiveram queda de 1,4 por cento no primeiro semestre de 2013, na comparação com o mesmo período do ano passado, para 144,5 milhões de toneladas, de acordo com dados divulgados nesta segunda-feira pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) e compilados pela Reuters.

Em receitas geradas, por outro lado, as exportações de minério registraram alta de 0,65 por cento em relação ao primeiro semestre de 2012, para 14,962 bilhões de dólares, com os preços médios ligeiramente maiores compensando a redução do volume.

As exportações brasileiras de minério de ferro, principal produto exportado pelo Brasil, podem indicar como foi o desempenho da Vale, maior produtora de minério de ferro do mundo, no primeiro semestre.

Em junho, os embarques do Brasil somaram 26,1 milhões de toneladas, volume ligeiramente maior que o registrado no mesmo mês de 2012 (25,88 milhões de toneladas). Ante maio, houve queda de cerca de 1 milhão de toneladas.

Em receita, as exportações de junho renderam ao país 2,59 bilhões de dólares, contra 2,75 bilhões de dólares no mesmo período do ano passado.

O Secex indicou ainda queda no preço médio do minério para 99,2 dólares por tonelada (base FOB) em junho, contra 106,2 dólares no mesmo período do ano passado.

Essa queda no preço mensal, em relação ao mesmo mês do ano anterior, ocorreu ainda em janeiro. Em todos os outros meses do semestre, a cotação de 2013 foi maior que a verificada no mesmo período de 2012.

Os preços de referência do minério de ferro no mercado da China, principal importador global, registraram leve alta de segunda-feira, para 116,90 dólares por tonelada, enquanto tiveram queda de cerca de 15,1 por cento no trimestre de abril a junho.

A cotação na China atingiu uma máxima de 16 meses em fevereiro, de 158,90 dólares. Depois o minério perdeu forças ao sabor da demanda no mercado chinês. Desde maio, oscilou entre cerca de 130 e 110 dólares por tonelada.

(Reportagem de Roberto Samora)