OGX tem 3o maior risco de default do mundo, aponta índice

terça-feira, 2 de julho de 2013 12:57 BRT
 

Por Rachelle Kakouris

NOVA YORK, 2 Jul (Reuters) - O número de empresas no mundo com perigo de não honrar o pagamento de dívidas subiu no mês passado, informou nesta terça-feira a empresa de gestão de risco Kamakura, que colocou a petroleira brasileira OGX em terceiro na lista de maiores ameaças de calote aos credores.

Seis das 10 empresas mais arriscadas estão na Europa, segundo reportagem publicada pelo IFR, um serviço da Thomson Reuters.

O índice Kamakura de companhias problemáticas subiu 0,63 por cento em junho, para 8,51 por cento, indicando uma deterioração na qualidade de crédito de 32 mil companhias de 37 países avaliadas pelo índice --todas com probabilidade de default acima de 1 por cento.

"A Europa continuou a ser a área primária de preocupações sobre crédito novamente em junho, com os problemas em curso dos setores bancário e de telecomunicações", disse o administrador-executivo da Kamakura, Martin Zorn.

Na Europa, a empresa com mais problemas é o antigo monopólio italiano de telefonia, a Telecom Italia, com chance de calote de 13,38 por cento.

Os bônus de 1 bilhão de euros da Telecom Italia com vencimento em janeiro de 2020 são negociados agora com prêmio de cerca de 330 pontos-básicos sobre os títulos de dívida do governo da Alemanha, o que se compara a 291 pontos-básicos dois meses atrás.

Em seguida aparece uma empresa russa e depois a OGX, do empresário Eike Batista, com risco de default de 9,81 por cento, segundo a Kamakura. Na segunda-feira, a OGX disse que suspendeu o desenvolvimento de alguns campos de petróleo e gás na bacia de Campos e que não investirá no aumento da produção dos poços de Tubarão Azul, motivando queda de quase 30 por cento de suas ações.

Os bônus da OGX com vencimento em 2018 eram negociados entre 19,50 e 21 por cento do valor de face na manhã desta terça-feira, contra 30 por cento na sexta-feira passada.   Continuação...