Deutsche Boerse lançará bolsa com negócios de computação em nuvem

terça-feira, 2 de julho de 2013 15:35 BRT
 

FRANKFURT (Reuters) - A operadora alemã de mercados financeiros Deutsche Boerse está planejando transformar computação em nuvem em commodity com o lançamento, no início do próximo ano, da primeira bolsa independente do mundo para negociação de processamento de dados.

O advento da computação em nuvem, em que uma rede remota de computadores é disponibilizada online, não apenas possibilitou aos usuários abandonar grande parte de custos com hardware, mas também alterar o uso entre máquinas de terceiros, de acordo com o nível de preços onde a capacidade de processamento é mais barata.

A Deutsche Boerse disse que a Cloud Exchage vai abrir como um mercado à vista no primeiro trimestre do próximo ano para empresas e outras organizações que terceirizam o armazenamento de dados e necessidades de processamento de computação. As empresas poderão comprar capacidade assim como fariam no mercado de commodities, como com petróleo e eletricidade.

O operador da bolsa de Frankfurt e do mercado de futuros Eurex estabeleceu uma joint-venture para operar no novo mercado com a empresa de gestão de software baseada em Berlim, a Zimory.

A capacidade de armazenamento de dados será negociada em unidades de dados de pelo menos 1 terabyte (TB) e capacidade de processamento em oferta virá na forma de pelo menos 10 unidades de processamento(PU), sendo que 1 PU representa 8 gigabytes.

A Deutsche Boerse disse que os períodos de contrato serão de um dia, uma semana, um mês, um ano ou ilimitado.

"É o mesmo com bananas. É possível negociar sobre preços, sem que todas as bananas pareçam as mesmas", disse Michael Osterlon, diretor da Deutsche Boerse Cloud Exchange.

O mercado global de serviços de computação em nuvem deve crescer 18,5 por cento este ano, para 131 bilhões de dólares, segundo a empresa de pesquisa Gartner. Enquanto isso, o setor de Infraestrutura como Serviço, conhecido como IaaS e que inclui serviços de processamento, armazenagem e impressão de documentos, deve crescer 47,3 por cento, a 9 bilhões de dólares.

A Deutsche Boerse afirmou que está negociando atualmente com até 20 companhias, que poderão vender processamento e capacidade de armazenagem de dados, para conseguir viabilizar o novo mercado.