Setor de serviços da China cresce, mas não acalma preocupações--PMI

quarta-feira, 3 de julho de 2013 07:34 BRT
 

Por Xiaoyi Shao e Koh Gui Qing

PEQUIM, 3 Jul (Reuters) - O setor de serviços da China cresceu modestamente em junho com a vasta indústria de construção agindo como um peso sobre a produção, em mais um sinal de que a segunda maior economia do mundo está perdendo força.

Um setor de serviços sem brilho não ajudará a contrabalançar uma desaceleração mais profunda na indústria em um momento em que os principais líderes da China parecem relutantes em afrouxar o controle de política para sustentar o crescimento.

Duas pesquisas de Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) nesta quarta-feira permaneceram acima da marca de 50 que divide expansão de contração, mas as leituras não são fortes o suficiente para acalmar as preocupações com uma desaceleração da China.

O PMI de serviços publicado pela Agência Nacional de Estatísticas da China atingiu mínima de nove meses a 53,9 em junho ante 54,3 em maio, enquanto o PMI do Markit/HSBC melhorou ligeiramente para 51,3 ante 51,2 em maio.

"A ligeira queda no setor de serviços deveu-se principalmente a um recuo sazonal na indústria de construção", disse o vice-presidente da Federação de Logística e Compras da China (CFLP, na sigla em inglês), Cai Jin, em comunicado que acompanha os dados.

O subíndice para construção caiu para 59,3 ante 62,2 em maio. A CFLP realiza a pesquisa oficial junto com a agência de estatísticas.

O setor de serviços da China respondeu por 46 por cento da economia em 2012. Ele superou a indústria como o maior empregador no país em 2011 e até agora as empresas de serviços vinham tendo uma performance melhor do que as fábricas chinesas, estas afetadas pela fraqueza da demanda doméstica e externa, assim como pelo excesso de capacidade.

Entretanto, economistas alertaram que mais cedo ou mais tarde a fraqueza da atividade industrial e as difíceis condições econômicas vão chegar à economia de serviços.

Dois PMIs separados na segunda-feira mostraram que o crescimento da indústria da China atingiu mínimas de vários meses em junho devido aos problemas da demanda doméstica e externa.

(Reportagem adicional de Langi Chiang e Jenny Su)