Investimento alternativo ao trem-bala seria de R$30,5 bi, diz EPL

quarta-feira, 3 de julho de 2013 11:00 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - Se o país não construir o trem-bala, serão necessários investimentos alternativos de 30,5 bilhões de reais em logística até 2044 para atender ao crescimento da demanda por viagens de passageiros no eixo Rio-São Paulo, disse nesta quarta-feira o presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo.

Pelas estimativas da EPL, a maior parte desses recursos, cerca de 18,5 bilhões de reais, teria de ser usada na construção de uma nova rodovia entre as duas capitais, para ajudar a Via Dutra a comportar o fluxo.

Além disso, outros 12 bilhões de reais teriam de ser investidos, segundo Figueiredo, para construir dois novos aeroportos, um em São Paulo e outro no Rio. Já que, sem o trem-bala, seriam necessárias alternativas aos terminais de Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ).

"O trem de alta velocidade é um substituto muito eficiente do transporte aéreo", disse Figueiredo, durante audiência pública na Comissão de Infraestrutura do Senado.

A estimativa da EPL é de que o fluxo de passageiros anual entre as duas cidades passe dos 7,8 milhões de passageiros anuais registrados em 2008 para mais de 50 milhões por ano em 2044.

O investimento total estimado pelo governo para o trem-bala está na casa dos 35 bilhões de reais.

O governo pretende realizar em 19 de setembro o leilão para escolher a tecnologia e o operador do trem de alta velocidade.

(Por Leonardo Goy)

 
Presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, fala durante entrevista exclusiva à Reuters, em Brasília. Se o país não construir o trem-bala, serão necessários investimentos alternativos de 30,5 bilhões de reais em logística até 2044 para atender ao crescimento da demanda por viagens de passageiros no eixo Rio-São Paulo, disse Figueiredo nesta quarta-feira. 21/05/2013. REUTERS/Ueslei Marcelino