Impasse entre credores e controlador adia desfecho para Grupo Rede

quarta-feira, 3 de julho de 2013 21:04 BRT
 

SÃO PAULO, 3 Jul (Reuters) - O desfecho para o Grupo Rede, cujas holdings estão em recuperação judicial, foi adiado para sexta-feira, após credores e o atual controlador do Grupo não chegarem a um acordo em assembleia nesta quarta-feira.

Credores defendem que o plano apresentado por Energisa seja apreciado, enquanto o controlador atual do grupo afirmou não ter confiança nessa proposta quanto à origem de recursos para investimentos.

A Energisa garante ter recursos necessários e credores na assembleia sinalizaram apoio à empresa. Já CPFL Energia e a Equatorial Energia disseram que retirarão sua proposta se ela não for votada na sexta-feira. Com o impasse, ficou definido que Energisa irá protocolar seu plano com alterações até quinta-feira, às 10 horas, na justiça.

Thomas Felsberg, advogado do Grupo Rede, disse que o controlador, que firmou compromisso de venda com a CPFL e Equatorial, buscará garantir que o plano desse consórcio seja levada a votação na próxima assembleia.

Ele não deixou claro se irá levar à votação o plano da Energisa, se credores não aprovarem o plano das concorrentes em votação. "Eu não vou assumir nenhum compromisso nesse momento", disse, admitindo que pode avaliar o que a Energisa vai propor.

O advogado da CPFL, Eduardo Munhoz, disse que se a proposta conjunta da empresa com a Equatorial não for individualmente votada na próxima assembleia, o consórcio desistiria da compra.

Para que o plano de compra e recuperação do Grupo Rede seja aprovado, credores e controlador têm que chegar a um acordo.

O advogado dos bondholders, Eduardo Mattar, disse após a assembleia que o seu entendimento é que os credores podem pedir para votar o plano da Energisa na próxima assembleia.

Mais cedo, Energisa e o grupo formado por CPFL e Equatorial Energia chegaram a impor a validade de suas ofertas de compra do Grupo Rede à aprovação das respectivas propostas por assembleia de credores da companhia nesta quarta-feira, na tentativa de pressionar para a tomada de decisão.   Continuação...