BC britânico mantém juros e mostra preocupação com yields

quinta-feira, 4 de julho de 2013 11:19 BRT
 

LONDRES, 4 Jul (Reuters) - O Banco da Inglaterra, banco central britânico, em sua primeira reunião sob o comando de Mark Carney, disse que a recente alta nos yields de títulos não é justificada pela situação da economia britânica e indicou que pode dar mais orientação sobre as taxas de juros no próximo mês.

O Comitê de Política Monetária do BC votou contra reiniciar seu programa de compra de títulos e manteve a taxa de juros na mínima recorde de 0,5 por cento, como era amplamente esperado

Mas o Comitê adotou a incomum medida de divulgar um comunicado mesmo não tendo feito nenhuma alteração na política, e disse que "o significativo movimento para cima" nos yields pesará sobre suas expectativas de crescimento e inflação.

"Na visão do Comitê, o inferido aumento no esperado ritmo futuro da taxa do BC não é justificado pelos recentes acontecimentos na economia doméstica", informou o comunicado.

A libra caiu para mínima de um mês frente ao dólar e os yields de títulos do governo britânico recuaram com força, visto que os investidores tomaram a declaração como sinal de que o BC irá agir para diminuir as expectativas sobre quando pode eventualmente elevar as taxas.

Carney ficou encarregado de acelerar a lenta recuperação da economia britânica pelo ministro das Finanças, George Osborne, que pediu a ele para dar um retorno no próximo mês sobre se o BC deve dar mais orientação detalhada sobre o futuro das taxas de juros.

O Comitê disse que esse debate pode afetar sua decisão de juros em 1º de agosto.

"Essa análise terá uma importante relevância nas discussões de política do Comitê em agosto", informou.

Alguns economistas disseram que a declaração também pode ser um precursor do reinício das compras de títulos pelo banco central sob o comando de Carney.

"Eu acho que é certo que haverá orientação em agosto, e então a questão é se também haverá compras de ativos", disse o economista do BNP Paribas David Tinsley.

(Reportagem de William Schomberg)

 
Presidente do Banco da Inglaterra, Mark Carney, comparence a audiência do comitê de política monetária em seu primeiro dia na sede do banco central britânico, em Londres. O Banco da Inglaterra, banco central britânico, em sua primeira reunião sob o comando de Mark Carney, disse que a recente alta nos yields de títulos não é justificada pela situação da economia britânica e indicou que pode dar mais orientação sobre as taxas de juros no próximo mês. 1/07/2013. REUTERS/Jason Alden/pool