MMX suspende temporariamente operação de unidade em Corumbá

quinta-feira, 4 de julho de 2013 20:09 BRT
 

SÃO PAULO, 4 Jul (Reuters) - A MMX, empresa produtora de minério de ferro do grupo do empresário Eike Batista, informou nesta quinta-feira a suspensão temporária das atividades da unidade em Corumbá, em Mato Grosso do Sul, segundo fato relevante.

A mineradora afirmou que a suspensão será por seis meses a partir deste mês, e que possui estoque para atendimento a todos os contratos firmados.

O Sistema Corumbá responde por uma participação menor na produção da MMX. No primeiro trimestre do ano, a unidade produziu 242 mil toneladas de minério de ferro, contra 1,3 milhão de toneladas do Sistema Sudeste.

A MMX afirmou na nota que a decisão reforça a estratégia "de otimização na alocação de capital e maximização de valor para os seus acionistas", sem dar mais detalhes.

A mineradora do grupo EBX está entre os ativos que o empresário Eike quer vender participações em meio à limitação de caixa para executar projetos que requerem grandes cifras, num momento de reestruturação de dívidas da holding.

Uma fonte disse à Reuters nesta quinta-feira que o fundo soberano Mubadala, de Abu Dhabi, recebeu ações da MMX em uma operação de redução de dívida do grupo EBX, holding de Eike, com o fundo.

A produção no Sistema Corumbá havia disparado no primeiro trimestre do ano em relação ao quarto trimestre de 2012, quando a operação foi afetada pela baixa navegabilidade do rio Paraguai, utilizado para o escoamento das cargas.

A suspensão da atividade em Corumbá resultará ainda em ajuste no número de postos de trabalho, disse a nota. (Por Roberto Samora; edição de Aluísio Alves)