IPCA desacelera em junho a 0,26%, mas em 12 meses vai a 6,70%

sexta-feira, 5 de julho de 2013 12:06 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO, 5 Jul (Reuters) - A inflação ao consumidor brasileiro desacelerou em junho para 0,26 por cento, favorecida por alimentos, num resultado abaixo do esperado e com forte queda da dispersão. Mas o acumulado em 12 meses foi a 6,70 por cento, maior alta desde 2011.

O resultado mensal, o menor desde junho de 2012 (+0,08 por cento), reforça a expectativa de que o Banco Central manterá o ritmo de aperto monetário na reunião da próxima semana.

Em maio, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) havia subido 0,37 por cento, com o acumulado em 12 meses em 6,50 por cento, exatamente no teto da meta do governo, de 4,5 por cento com tolerância de 2 pontos percentuais.

Os números de junho foram divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e levaram o acumulado em 12 meses ao pior resultado desde os 6,97 por cento de outubro de 2011.

Entretanto, as taxas ficaram abaixo do esperado em pesquisa da Reuters. A expectativa sobre junho era de alta de 0,33 por cento, segundo a mediana, com as projeções variando de 0,29 a 0,37 por cento. Já para o acumulado em 12 meses a expectativa chegava a 6,77 por cento.

Outro ponto de destaque foi a forte redução do índice de difusão. Segundo o economista e sócio da Tendências Juan Jensen, o índice caiu para 54,5 por cento em junho, ante 62 por cento em maio.

"Acho que o quadro é positivo apesar de em 12 meses ter voltado a estourar o teto e de haver um risco grande para o futuro por causa do câmbio", disse ele, referindo-se à desvalorização recente do real e destacando um viés de alta para sua projeção de inflação a 5,6 por cento no fim do ano.

ALIMENTOS   Continuação...