Operadores nucleares no Japão atestam segurança após checagens de usinas

segunda-feira, 8 de julho de 2013 12:48 BRT
 

TÓQUIO, 8 Jul (Reuters) - Operadores nucleares japonesas pediram nesta segunda-feira para reiniciar reatores sob novas regras, após o desastre de Fukushima, mas a aprovação mais cedo é improvável a medida que um regulador mais independente se esforça para mostrar a um cético público que é serio em relação à segurança.

O Partido Liberal Democrático do Japão e empresas de energia estão ansiosas para reiniciar reatores, com o primeiro-ministro Shizo Abe destacando o controle de custos de combustíveis como parte fundamental de seu plano de reforma econômica.

Mas o partido pró-nuclear LDP deve agir com cuidado para evitar comprometer a independência do novo regulador, que está lutando para construir credibilidade com um público cuja fé na energia nuclear foi dizimada após colapsos na planta de Fukushima da Tokyo Electric.

A Autoridade de Regulamento Nuclear disse que levaria pelo menos seis meses para reavaliar as unidades nucleares, e que o consentimento das comunidades que hospedam reatores.

Todos com exceção de dois dos 50 reatores do Japão foram fechados após o desastre em março de 2011, o que obrigou 160 mil pessoas a partir de suas casas, muitos dos quais não deverão poder retornar dentro de décadas.

A energia nuclear representava cerca de um terço do fornecimento de energia elétrica no Japão antes da catástrofe de Fukushima, a pior crise nuclear desde Chernobyl, em 1986.

O desastre, causado por um terremoto e tsunami que destruíram as funções de resfriamento na usina de Fukushima, chamaram atenção para a fraca supervisão de poderosas empresas de energia elétrica.

(Reportagem de Osamu Tsukimori)