Exportações chinesas caem e governo alerta para cenário "ruim" de comércio

quarta-feira, 10 de julho de 2013 08:39 BRT
 

Por Langi Chiang e Kevin Yao

PEQUIM, 10 Jul (Reuters) - As exportações chinesas apresentaram uma surpreendente queda em junho e o governo do país asiático alertou nesta quarta-feira para um cenário "ruim" para o comércio exterior, levantando novas preocupações sobre o ritmo da desaceleração na segunda maior economia do mundo e aumentando a pressão sobre o governo para agir.

Os novos líderes da China, incluindo o primeiro-ministro Li Keqiang, têm mostrado tolerância com crescimento mais lento, ao mesmo tempo em que avançam com esforços para reformar a economia no longo prazo, mas qualquer queda contínua na performance econômica pode testar a determinação deles.

"A próxima semana será um teste para o governo em revelar quanto de desaceleração do crescimento ele está disposto a tolerar", disse Zhiwei Zhang, economista-chefe do Nomura, em nota a cliente.

A queda nas exportações foi a primeira desde janeiro de 2012. As importações recuaram 0,7 por cento, ante expectativa de aumento de 8 por cento, enquanto a China teve um superávit comercial de 27,1 bilhões de dólares, informou a administração de alfândega, em linha com os 27 bilhões de dólares esperados.

Os dados de exportação de junho seguem a restrição ao uso de dados falsos que exageraram as exportações mais cedo neste ano, e podem agora refletir o cenário real, disseram autoridades da alfândega.

Entretanto, o ambiente externo permanece fraco e os altos custos trabalhistas e um iuan mais forte desencorajam os exportadores, disse a alfândega.

"A China enfrenta desafios relativamente rigorosos no comércio atualmente", disse o porta-voz da alfândega Zheng Yuesheng. "As exportações no terceiro trimestre parecem ruins."

As exportações para os Estados Unidos, maior mercado de exportação da China, caíram 5,4 por cento em junho, enquanto as exportações para a União Europeia recuaram 8,3 por cento.