Emprego na indústria cai 0,5% em maio, queda mais forte desde 2009

quarta-feira, 10 de julho de 2013 11:26 BRT
 

Por Camila Moreira

SAO PAULO, 10 Jul (Reuters) - O emprego na indústria brasileira registrou pela primeira vez neste ano queda mensal ao cair 0,5 por cento em maio, a mais forte desde 2009, com recuo no total de horas pagas.

Segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira, o recuo mensal do emprego foi o mais acentuado desde dezembro de 2009, quando caiu 0,6 por cento.

Em abril o emprego na indústria havia ficado estável na comparação mensal, após alta de 0,2 por cento em março. Em janeiro e fevereiro também foi registrada estabilidade.

Em relação ao mesmo mês de 2012, o total de pessoal ocupado na indústria recuou 0,7 por cento, 20º resultado negativo consecutivo nesse tipo de comparação.

O resultado de maio fica em linha com a produção industrial brasileira no mesmo mês, quando houve queda de 2,0 por cento frente a abril, resultado pior do que o esperado e que esfriou ainda mais as expectativas de recuperação mais sólida do setor.

"O mês de maio foi marcado por uma menor intensidade na produção, nas vendas, e no próprio mercado de trabalho. Há um predomínio de resultados negativos", disse o economista do IBGE André Macedo.

"Essa queda de 0,5 por cento (...) reflete essa instabilidade e volatilidade da produção industrial em 2013. O ritmo menos intenso da produção acaba provocando uma deterioração no mercado de trabalho", completou Macedo.

Segundo o IBGE, na comparação com maio de 2012, o contingente de trabalhadores sofreu redução em dez dos 14 locais pesquisados. O principal impacto negativo veio da Região Nordeste, recuo de 3,2 por cento.   Continuação...