Executivos da GlaxoSmithKline confessam crimes econômicos na China

quinta-feira, 11 de julho de 2013 07:35 BRT
 

PEQUIM, 11 Jul (Reuters) - Executivos da GlaxoSmithKline (GSK) na China confessaram acusações de suborno e violações fiscais, disse o Ministério de Segurança do país, em um dos mais proeminentes casos de empresas estrangeiras no país em três anos.

Subornos foram feitos a representantes do governo chinês, associações médicas, hospitais e médicos para elevar as vendas e os preços, disse o Ministério em um comunicado em seu site nesta quinta-feira. Os executivos da GSK também usaram recibos falsos em violações fiscais não especificadas, acrescentou.

O comunicado não deu detalhes sobre o número de executivos da GSK questionados, suas identidades ou quando o questionamento ocorreu. Em resposta às acusações do ministério, a GSK disse que está disposta a cooperar com as autoridades.

Nos últimos meses, a China tem cobrado empresas estrangeiras em várias frentes, incluindo a fixação de preços, controle de qualidade e direitos do consumidor, forçando-as a defender a sua reputação em um país onde marcas internacionais muitas vezes têm uma vantagem importante sobre os concorrentes locais, em termos de confiança pública.

(Por Michael Martina em Pequim, Kazunori Takada em Xangai e Paul Sandle em Londres)