Mantega pede que Câmara adie análise da renegociação da dívida dos Estados

quinta-feira, 11 de julho de 2013 18:31 BRT
 

BRASÍLIA, 11 Jul (Reuters) - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, pediu o adiamento da votação da proposta que altera os indexadores da dívida dos Estados e municípios com a União, informou nesta quinta-feira o líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

O projeto prevê que as dívidas dos Estados e municípios deixem de ser reajustadas por IGP-DI mais 6 por cento, 7,5 por cento e 9 por cento e passem a ser corrigidas pela taxa Selic ou por IPCA mais 4 por cento. O indexador será definido ano a ano, com preferência para o percentual menor.

Mantega pediu o prazo maior para que o governo tenha um cenário mais claro sobre se a proposta de unificação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no Senado evoluiu ou se será abandonada.

"O ministro quer aguardar até agosto para saber se a proposta de unificação do ICMS vai evoluir. Se não evoluir, ele vai tratar única e exclusivamente da parte da renegociação da dívida dos Estados e municípios", informou Cunha.

A dificuldade do governo em acertar os termos dessa renegociação deve-se à decisão do Senado de alterar a proposta do governo de unificação do ICMS, desvirtuando o original. O governo tenta agora um novo acordo sobre a unificação das alíquotas entre os Estados no âmbito do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), mas ainda sem garantias de que isso ocorrerá.

(Reportagem de Luciana Otoni)