Ministro da China sinaliza que pode aceitar expansão abaixo de 7%

sexta-feira, 12 de julho de 2013 08:24 BRT
 

XANGAI, 12 Jul (Reuters) - O ministro das Finanças da China sinalizou que o governo chinês pode estar disposto a tolerar crescimento econômico no segundo semestre significativamente abaixo de 7 por cento, marcando o comentário mais claro até agora de uma autoridade sênior sobre a desaceleração vista no país.

Falando em Washington, Lou Jiwei afirmou que o crescimento na segunda maior economia do mundo pode ser de 7 por cento neste ano, noticiou a agência oficial Xinhua nesta sexta-feira. Isso significaria que o crescimento ficaria abaixo da meta oficial do governo pela primeira vez até onde se pode lembrar.

Lou disse que o crescimento econômico no primeiro semestre do ano será "ligeiramente menor do que 7,7 por cento". A China divulga na próxima segunda-feira os dados do Produto Interno Bruto para o trimestre entre abril e junho.

"Não há dúvidas de que a China pode alcançar a meta de crescimento, embora o objetivo de 7 por cento não deva ser considerado o resultado final", reportou a Xinhua ao parafrasear as declarações de Lou no evento Diálogo Econômico e Estratégico EUA-China.

Ainda assim, um crescimento na China em 2013 de 7 por cento seria menor do que muitos economistas estão estimando. A maioria das estimativas está entre 7 por cento e 7,5 por cento.

Autoridades chinesas, preocupadas com excesso de investimento e crescimento forte no empréstimo informal, indicaram que estão preparadas para tolerar taxas de crescimento menores conforme avançam com reformas estruturais.

A meta oficial de crescimento do país em 2013 é de 7,5 por cento e foi aprovada há apenas quatro meses pelo Congresso Nacional do Povo, ou Parlamento.

(Reportagem de Pete Sweeney, em Xangai, Koh Gui Qing e Xiaoyi Shao, em Pequim, e Umesh Desai, em Hong Kong)