Economia brasileira tem contração de 1,4% em maio, aponta BC

sexta-feira, 12 de julho de 2013 10:51 BRT
 

Por Camila Moreira

SÃO PAULO, 12 Jul (Reuters) - A economia brasileira registrou em maio a maior retração desde 2008, mostrou um indicador do Banco Central, pressionada pela fraqueza da produção industrial e destacando as dificuldades de uma recuperação consistente da atividade.

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado espécie de sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), registrou queda de 1,4 por cento em maio ante abril, de acordo com dados dessazonalizados, informou o BC nesta sexta-feira.

O resultado anulou a alta vista em abril, quando houve crescimento de 0,96 por cento, número revisado ante avanço de 0,84 por cento divulgado anteriormente.

E também foi bem pior que a mediana das 17 projeções de analistas consultados pela Reuters, que mostrava queda mensal de 0,90 por cento em maio. As estimativas variaram de quedas de 1,60 a 0,30 por cento.

Por conta do IBC-Br, o mercado futuro de juros, cuja maioria das taxas fechou em alta na quinta-feira com especulações de que o índice viria melhor que as expectativas, operava em queda nesta manhã.

"Basicamente não há recuperação. Essas leituras oscilantes refletem o que estamos vendo na produção industrial, mostrando que de fato, na média, não há crescimento", disse a economista do Santander Fernanda Consorte.

A estimativa da economista é de um crescimento de 2 por cento do PIB este ano. "Mas quando se pensa na quantidade de estímulo que foi dado para a economia brasileira, era de se esperar crescimento maior", acrescentou.

Na comparação com maio de 2012, o IBC-Br avançou 2,61 por cento e acumula em 12 meses alta de 1,89 por cento, ainda segundo o BC.   Continuação...