Leilão de transmissão de energia tem habilitados para disputa em todos os lotes

sexta-feira, 12 de julho de 2013 09:29 BRT
 

SÃO PAULO, 12 Jul (Reuters) - O leilão de transmissão de energia que ocorre nesta sexta-feira tem habilitados para a disputa em todos os sete lotes de empreendimentos, segundo dados de acompanhamento do leilão no site da BM&FBovespa.

A competição licitará linhas de transmissão e subestações de energia em oito estados e no Distrito Federal, que demandarão investimentos de 1,2 bilhão de reais. A receita anual máxima permitida (RAP) para operar os empreendimentos é de 133 milhões de reais. A RAP é a receita anual a que a transmissora tem direito pela prestação do serviço. Vence o leilão de cada lote quem oferecer o maior desconto em relação à RAP máxima do leilão.

Embora haja habilitação de empresas e consórcios para disputa em todos os lotes, isso não significa que haverá competição. As empresas interessadas tem que se habilitar e entregar propostas com antecedência, mas podem decidir não apresentar lances nos envelopes entregues na disputa.

O leilão, que tem lotes considerados pequenos e médios no que se refere aos valores de receita, licitará empreendimentos de importância local, o que tende a favorecer proponentes que já têm base nessas regiões.

Os sete lotes que serão licitados no leilão somam 1.580 quilômetros (km) de extensão, localizados no Acre, Goiás, Distrito Federal, Bahia, Piauí, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Mato Grosso do Sul e Maranhão. As RAPs dos lotes variam de 4,5 milhões a 36,5 milhões de reais. Já a extensão das linhas nos lotes vai de 28 a 657 km.

O leilão tem 19 proponentes habilitadas à participação, --10 empresas que se habilitaram individualmente e nove consórcios.

Entre empresas que se habilitaram para disputar lotes do leilão individualmente estão a paranaense Copel, a CPFL, Eletronorte, do grupo Eletrobras e Taesa, do grupo Cemig. Além disso, Alupar, Neoenergia e as espanholas Abengoa, Cobra, Cymi e Elecnor se habilitaram à participação individual.

Copel ainda irá ao leilão em dois consórcios com a Elecnor, e a Eletronorte também se habilitou em outros dois consórcios com a Alupar. Eletrosul e CEEE-GT formam outro consórcio na disputa.

Furnas, empresa do grupo Eletrobras que está restrita à participação no leilão de forma minoritária em consórcios, disputa o certame em conjunto com o Fundo de Investimento em Participações Caixa Milão e com a goiana Celg. O FIP Caixa Milão, do grupo J&F, também forma consórcio com as empresas Bimetal e Geoenergia Soluções.   Continuação...