14 de Julho de 2013 / às 13:59 / em 4 anos

Aéreas insistem que permanecerão com o Boeing Dreamliner depois de incêndio

Emergência socorre o Boeing 787 Dreamliner, da Ethiopian Airlines, depois de pegar fogo no aeroporto de Heathrow nessa sexta-feira em Londres. Neste domingo, empresas aéreas insistiram em permanecer com o Boeing Dreamliner, mesmo depois de incêndio que ainda está sendo investigado. 12/07/2013 REUTERS/Toby Melville

Por Peter Griffiths e Rhys Jones

LONDRES, 14 Jul (Reuters) - Companhias aéreas expressaram confiança na segurança do Boeing 787 Dreamliner neste domingo, enquanto investigadores procuram a causa de um incêndio em um dos avançados jatos e a companhia perdeu bilhões de dólares em valor de mercado.

Autoridades britânicas disseram que verificações iniciais sobre o que eles chamaram de incidente sério pareciam afastar qualquer ligação com o problemas relacionados com a bateria que pararam a frota Dreamliner por três meses no início deste ano.

O incêndio no avião da Ethiopian Airlines no aeroporto de Heathrow em Londres e um problema técnico em separado em um segundo 787 detido pela inglesa Thomson Airways na sexta-feira levantaram novas questões sobre uma aeronave vista como crucial para o futuro da Boeing.

Os incidentes foram um contratempo para uma companhia que tenta reconstruir a confiança em sua principal bandeira e competir com a Airbus no crescente mercado para aviões para longa distância mais eficientes em combustível.

A britânica Tui Travel, que detém seis companhias aéreas europeias, incluindo a Thomson Airways, disse que seu avião voltou durante um voo entre Inglaterra e Flórida e que um pequeno número de componentes não especificados foram substituídos. As peças não tinham relação com a bateria, disse.

“Queremos confirmar a nossos clientes que temos confiança neste avião e que nunca iremos operá-lo se não estivéssemos 100 por cento certo de sua segurança”, disse uma porta-voz da TUI Travel.

A Virgin Atlantic disse que permanecia comprometida a aceitar a entrega de 16 aviões até o outono de 2014.

“Nós estamos confiantes de que a Boeing e autoridades relevantes estão trabalhando duro para assegurar que uma ação apropriada está sendo tomada”, disse a Virgin em comunicado.

A empresa polonesa LOT, primeira aérea europeia a receber uma entrega de um 787 no ano passado, disse que estava em constante contado com a Boeing.

Reportagem adicional de Chris Borowski em Varsóvia

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below