PIB da China no 2º tri desacelera, deve impulsionar reformas

segunda-feira, 15 de julho de 2013 14:14 BRT
 

Por Aileen Wang e Kevin Yao

PEQUIM, 15 Jul (Reuters) - O crescimento anual do Produto Interno Bruto (PIB) da China desacelerou para 7,5 por cento entre abril e junho --o nono trimestre dos últimos 10 em que a expansão enfraqueceu--, colocando pressão sobre Pequim para acelerar as reformas.

Os dados mostraram que a segunda maior economia do mundo desacelerou em linha com a previsão em pesquisa da Reuters após crescimento de 7,7 por cento entre janeiro e março. As ações asiáticas subiram em meio ao alívio de que o crescimento não ficou ainda menor após uma queda inesperada nas exportações em junho.

Um porta-voz da Agência Nacional de Estatísticas afirmou que a economia ainda pode atingir a meta de crescimento no ano de 7,5 por cento, enquanto o presidente do banco central disse que o governo vai aumentar os incentivos para sustentar pequenas empresas buscando estabilizar o crescimento.

Mas analistas afirmaram que a desaceleração vai encorajar o governo a avançar com mais força nas reformas. A alternativa --injetar mais dinheiro na economia através de afrouxamento monetário-- levanta o risco de exacerbar os já aquecidos mercados imobiliário e de crédito.

"A desaceceleração forçará o governo a avançar com reformas para ajudar a acionar novos motores de crescimento", disse Xiang Songzuo, economista-chefe do Agricultural Bank of China.

O crescimento anual foi o segundo mais baixo desde a crise financeiro global, após taxa de 7,4 por cento no terceiro trimestre do ano passado.

O porta-voz da agência de estatísticas, Sheng Laiyun, afirmou que a desaceleração deve-se em parte ao resultado dos esforços de Pequim de reformar a economia, um programa cujo objetivo é reduzir sua dependência de exportações e investimentos para encorajar mais consumo doméstico.

O investimento foi o maior motor do crescimento no primeiro semestre, contribuindo com 4,1 pontos percentuais para a taxa de 7,6 por cento dos seis primeiros meses do ano, enquanto o consumo contribuiu com 3,4 pontos percentuais e as exportações chegaram a 0,1 ponto percentual, disse a agência.   Continuação...

 
Funcionária trabalha em fábrica de roupas em Quanzhou, na China, 15 de julho de 2013. O crescimento anual do Produto Interno Bruto (PIB) da China desacelerou para 7,5 por cento entre abril e junho --o nono trimestre dos últimos 10 em que a expansão enfraqueceu--, colocando pressão sobre Pequim para acelerar as reformas. 15/07/2013 REUTERS/Stringer