Funcionários da Eletrobras entram em greve por tempo indeterminado

segunda-feira, 15 de julho de 2013 13:07 BRT
 

SÃO PAULO, 15 Jul (Reuters) - Funcionários das empresas do grupo Eletrobras estão em greve por tempo indeterminado depois de não terem sido atendidos em suas reivindicações de reajuste salarial, numa tentativa de pressionar a empresa à reabertura das negociações.

A adesão à paralisação atinge de 85 a 90 por cento dos 28 mil funcionários do sistema Eletrobras, segundo o diretor do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Energia do Rio de Janeiro e Região (Sintergia-RJ) e também da Associação dos Empregados da Eletrobras (AEEL), Emanuel Mendes Torres.

Uma das principais empresas do setor elétrico brasileiro, a Eletrobras é responsável por cerca de 35 por cento da capacidade de geração de energia do país, 56 por cento do total nacional de linhas de transmissão, e tem seis distribuidoras de energia no Norte do país.

Mas, segundo o presidente do Sintergia-RJ, Jorge Luiz Vieira da Silva, a greve não traz risco ao sistema elétrico já que há funcionários trabalhando para garantir os serviços essenciais da empresa.

A decisão pela paralisação ocorreu depois que sindicatos e a administração da empresa não chegaram a um acordo sobre a proposta final de acordo coletivo apresentada em reunião no dia 4 de julho.

A Eletrobras ofereceu reajuste salarial e de benefícios vigentes referente à reposição da inflação calculada pelo IPCA, entre maio de 2012 e abril de 2013, de 6,49 por cento, segundo nota enviada pela empresa.

Os funcionários pedem aumento de 6,88 por cento calculado pelo Dieese e mais 4,3 por cento referente ao crescimento do mercado de energia no período, segundo Torres.

"A empresa também está ameaçando retirar benefícios dos novos empregados, como gratificação de férias", disse Torres.

A Eletrobras disse por meio de nota que a proposta aos funcionários "reflete um esforço muito grande do Governo Federal e das empresas Eletrobras, especialmente se considerarmos o cenário decorrente da redução de tarifa de energia elétrica aos consumidores brasileiros e a consequente necessidade do equilíbrio econômico-financeiro das empresas".

A empresa está passando por um processo de reestruturação depois de ter renovado concessões com consequente redução da receita no início deste ano. Como parte da reestruturação, na sexta-feira, a companhia anunciou que mais de 4 mil funcionários aderiram ao plano de incentivo ao desligamento da empresa.

(Reportagem de Anna Flávia Rochas; Edição de Alexandre Caverni)