Ibovespa tem maior alta em mais de 4 meses por China

segunda-feira, 15 de julho de 2013 18:29 BRT
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO, 15 Jul (Reuters) - Menos temerosos com o risco de menor crescimento da China, investidores compraram barganhas na Bovespa e levaram o principal índice da Bovespa à maior alta diária em mais de quatro meses, em dia também marcado pelo exercício de opções.

O Ibovespa teve alta de 2,65 cento, a 46.738 pontos. Foi a maior alta desde 6 de março, quando o índice subiu 3,55%. O giro financeiro do pregão foi de 7,5 bilhões de reais, incluindo os 2,18 bilhões de reais do exercício de opções.

As blue chips Petrobras e Vale, as mais importantes do mercado de opções, fecharam em alta. O exercício movimentou 850 milhões de reais em opções de compra e 1,32 bilhão de reais em opções de venda.

A China informou pela manhã que sua economia cresceu 7,5 por cento no segundo trimestre na taxa anualizada, em linha com as estimativas. Analistas de mercado temiam que o número fosse menor, após dados recentes terem mostrado forte queda nas exportações em junho.

"A confirmação das expectativas trouxe certo alívio para países relacionados com commodities, o que respinga da bolsa", avalia Silvio Campos Neto, economista da Tendências Consultoria.

Por aqui, as ações do setor de siderurgia, um dos maiores exportadores brasileiros para a China, subiram forte. Os papéis da Usiminas avançaram mais de 14 por cento, os da CSN tiveram valorização de 8,2 por cento.

A alta da Usiminas também refletiu a notícia de que o Credit Suisse elevou a indicação do papel de "underperform" (desempenho abaixo da média do mercado) para "outperform" (acima da média).

Outro fator externo positivo para a Bovespa foi a alta, embora modesta, das bolsas americanas, após o Citigroup ter divulgado resultados sólidos relativos ao segundo trimestre. O S&P 500 encerrou em alta de 0,14 por cento.   Continuação...