Rússia deve elevar importação de açúcar em 85% em 13/14, aponta instituto

terça-feira, 16 de julho de 2013 11:30 BRT
 

MOSCOU, 16 Jul (Reuters) - A Rússia vai aumentar suas importações de açúcar bruto em pelo menos 85 por cento no ano comercial 2013/14, com início em 1o de agosto, por conta de uma queda na produção de açúcar de beterraba do país, previu o Instituto da Rússia para Estudos do Mercado Agrícola (Ikar, na sigla em inglês) nesta terça-feira.

O país busca tornar-se autossuficiente em açúcar depois de ter sido o maior importador de açúcar bruto do mundo há uma década. Mas esse plano tem sido atrasado, uma vez que agricultores estão apostando mais no plantio de grãos, mais rentáveis que a beterraba.

A situação pode beneficiar o Brasil, o maior exportador global da commodity.

Os russos vão importar pelo menos 850 mil toneladas de açúcar bruto em 2013/14, em comparação com cerca de 460 mil toneladas na temporada atual, disse Yevgeny Ivanov, analista da Ikar, à Reuters.

A produção de açúcar de beterraba deverá cair 19 por cento, para 3,85 milhões de toneladas, uma vez que a seca do ano passado levou muitos agricultores a mudarem para outros cultivos, de acordo com estimativa preliminar do instituto. A área plantada de beterraba caiu 20 por cento na comparação ano a ano.

Rússia consome cerca de 5,5 milhões de toneladas de açúcar por ano, dos quais 65-75 por cento acabam sendo cobertos pela sua própria produção de açúcar de beterraba.

Para atender o restante da demanda, tradings como a Sucden, Dreyfus e Cargill trazem açúcar do Brasil, Cuba e outros países da América Latina.

(Reportagem de Polina Devitt)