Consumo de etanol no Brasil sobe 24% em junho, usinas aumentam produção

terça-feira, 16 de julho de 2013 16:35 BRT
 

SÃO PAULO, 16 Jul (Reuters) - A demanda por etanol subiu 24 por cento no Brasil em junho ante o mesmo mês do ano passado, de acordo com as distribuidoras de combustíveis, sinalizando uma mudança nos hábitos dos motoristas que irá ajudar a diminuir o excedente de açúcar no mercado global e reduzir a dependência do país por gasolina importada.

Com o excedente global de açúcar empurrando os preços para a mínima de três anos, a União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica) poderá reduzir sua estimativa oficial para a produção de açúcar na atual temporada das 35,5 milhões de toneladas projetadas em abril para não mais do que o volume produzido no ano passado, de 34,1 milhões de toneladas, disse nesta terça-feira o diretor técnico da entidade, Antonio de Padua Rodrigues.

Analistas esperam que a crescente demanda por etanol no mercado local absorva um volume maior de cana e reduza o excedente global de açúcar.

A oferta de etanol, que compete diretamente com a gasolina, aumentou na esteira de uma colheita recorde de cana, em andamento. A oferta reduziu os preços do biocombustível e tornou-o uma boa opção para os motoristas em termos de custo-benefício.

O movimento é benéfico para a Petrobras, que tem sofrido prejuízos com a importação de gasolina a preços mais altos do que os praticados internamente, devido ao controle de preços imposto pelo governo.

Padua disse que a previsão da Unica para a produção de etanol em 2013/14 na região centro-sul do país poderia ser elevada para 26 bilhões de litros, ante 25,4 bilhões estimados em abril.

O sindicato nacional das distribuidoras de combustíveis (Sindicom), que reúne 60 por cento das empresas do setor, disse que o consumo de etanol subiu 24 por cento para 556,6 milhões de litros em junho ante o mesmo mês em 2012 e cresceu 10 por cento ante maio.

O Sindicom disse que as empresas que representa venderam 3,14 bilhões de litros de etanol hidratado nos primeiros seis meses de 2013, alta de 16 por cento ante a primeira metade do ano passado.

"O etanol começou a recuperar fatia de mercado ante a gasolina", disse à Reuters o presidente do Sindicom, Alísio Mendes Vaz, atribuindo a melhora na competitividade do biocombustível à safra abundante e à eliminação de PIS/Cofins para o setor, anunciada em maio.   Continuação...