Argentina paralisa exportação de trigo; colheita deve atrasar

quarta-feira, 17 de julho de 2013 12:48 BRT
 

BUENOS AIRES, 17 Jul (Reuters) - A Argentina, tradicionalmente um importante exportador de trigo, está enfrentando uma escassez do grão que suspendeu as suas exportações e levou o governo a adotar controles de preços "em uma tentativa de manter o pão para os consumidores" antes das eleições.

Essa parada nas exportações argentinas de trigo vem no momento em que o mundo precisa do seu cereal, especialmente o Brasil, o principal comprador do grão argentino que está no pico da entressafra.

Limites de exportação impostos pelo país sul-americano, que foram aplicados para garantir amplo abastecimento de alimentos domésticos, tiveram um efeito inverso, afetando o plantio na Argentina na última temporada. Agricultores migraram para outras culturas, como a soja, em função das restrições.

A crise de trigo da Argentina ocorre em um momento delicado para o mercado global.

Danos às culturas na China, grande produtor global, pode forçá-la a importar seus maiores volumes em duas décadas.

No Brasil, a safra passada quebrou para 4,3 milhões de toneladas, ante 5,7 milhões de toneladas na temporada anterior. A próxima colheita brasileira pode se recuperar para 5,6 milhões de toneladas, segundo o Ministério da Agricultura, mas só chega ao mercado nos próximos meses.

Uma estimativa acima do previsto para a oferta exportável da Argentina elevou os preços do pão no país, alimentando uma das taxas de inflação mais altas do mundo, num momento em que os eleitores se preparam para ir às urnas na eleições parlamentares em outubro.

ATRASO NA PRÓXIMA SAFRA

Além disso, a próxima colheita da Argentina será atrasada, porque o tempo seco afetou o início do plantio em 2013. Apenas 220.000 hectares estão plantados com trigo este ano nas províncias do norte de Salta, Jujuy, Chaco e Formosa, menos da metade dos 530 mil hectares semeados nessas áreas em 2012.   Continuação...