Café tem pico de várias semanas em NY por frente fria no Brasil

quarta-feira, 17 de julho de 2013 16:38 BRT
 

LONDRES/NOVA YORK, 17 Jul (Reuters) - Os futuros do café arábica na bolsa de Nova York (ICE) subiram para uma máxima de mês nesta quarta-feira por preocupação sobre uma queda nas temperaturas no Brasil na próxima semana, o que poderia representar ameaça para as lavouras em algumas áreas do principal produtor e exportador mundial.

"Há um prêmio climático que sendo destinado ao café que pode facilmente sair do mercado assim que os temores climáticos se reduzirem", disse Hector Galvan, estrategista da RJO Futures em Chicago.

A MDA Serviços Meteorológicos informou que "geada é uma possibilidade eminente em toda região Sul do Brasil na próxima semana, à medida que a alta pressão promove algumas manhãs muito frias".

O serviço de meteorologia disse que as temperaturas devem cair para cerca de 1 grau Celsius no sul de São Paulo e norte do Paraná, com possibilidade de mínimas negativas no centro e sul do Paraná e Santa Catarina, nas manhãs de terça-feira e de quarta-feira.

Já a Somar Meteorologia, com sede em São Paulo, afirma que a onda de frio pode atingir lavouras na região Sul do país, no sul de São Paulo e em Mato Grosso do Sul na madrugada do dia 23, com temperaturas perto de zero em algumas regiões.

Paraná e São Paulo são, respectivamente, o terceiro e o quinto produtores de café do Brasil.

"Existe o risco de geada, porém existem fatores que minimizam, mas não impedem, essa ocorrência", salientou Oliveira, citando chuvas anteriores ao frio --que deixarão solo úmido--, previsão de céu nublado para aquela madrugada e ventos fortes em altitude.

Segundo ele, o frio poderá prejudicar pés de café mais novos, áreas de baixadas e áreas de bordas das principais regiões produtoras do Paraná.

"Não é para acabar com o café do Paraná", disse ele. "Não vamos ter nada excepcional, mas uma área ou outra vai ter algum registro, vai ter fotos e o mercado vai especular em cima."   Continuação...