Grécia aprova projeto que prevê demissão de milhares no setor público

quarta-feira, 17 de julho de 2013 19:53 BRT
 

Por Angeliki Koutantou e Renee Maltezou

ATENAS, 17 Jul (Reuters) - O instável governo de coalizão da Grécia conseguiu aprovar nesta quarta-feira um projeto de lei para demitir trabalhadores do setor público, enquanto milhares de pessoas gritavam frases contra as medidas de austeridade em frente ao Parlamento.

A votação foi o primeiro grande teste para a coalizão de dois partidos do primeiro-ministro grego, Antonis Samaras, desde que perdeu um aliado após o fechamento abrupto da emissora estatal no mês passado, que o deixou com uma maioria de apenas cinco deputados no Parlamento de 300 lugares.

Após a meia-noite desta quarta-feira em Atenas, 153 dos 293 parlamentares presentes votaram a favor do projeto de lei, cuja aprovação foi necessária para desbloquear quase 7 bilhões de euros em ajuda da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional.

O projeto inclui planos extremamente polêmicos para a transferência e demissão de 25 mil funcionários públicos, principalmente professores e policiais municipais, que tinham provocado uma semana de marchas, manifestações e greves quase que todos os dias.

Cerca de 5 mil gregos foram para frente do Parlamento com a aproximação da votação, com alguns cânticos "nós não vamos sucumbir, a única opção é resistir" e segurando balões pretos, apesar de o comparecimento ter sido muito menor do que nos protestos do ano passado.

"Após 12 anos no emprego, demitem a gente em uma noite", dizia entre soluços a vigilante escolar Patra Hatziharalampous, de 52 anos, que protestava de uniforme. "Se eles tiverem o mínimo de coragem, deveriam dizer não ao resgate (financeiro internacional) e retirar alguns artigos da lei."

Em uma tentativa de aplacar os protestos, Samaras anunciou, horas antes da votação, o primeiro corte de impostos na Grécia desde o início da crise fiscal no país, há quase quatro anos.

"Apesar das dificuldades, coisas importantes e significativas estão acontecendo no nosso país", disse Samaras, num inesperado pronunciamento de rádio e TV, anunciando que o imposto sobre valor agregado (IVA) nos restaurantes, elevado a 23 por cento em 2011, será reduzido para 13 por cento a partir de agosto.   Continuação...