Transportes e alimentos recuam e IPCA-15 desacelera alta a 0,07% em julho

sexta-feira, 19 de julho de 2013 13:08 BRT
 

Por Camila Moreira

SÃO PAULO, 19 Jul (Reuters) - O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) desacelerou a alta em julho para 0,07 por cento favorecido pela queda dos preços de alimentação e bebidas e de transportes, e no acumulado em 12 meses voltou a ficar abaixo do teto da meta do governo.

De acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira, a prévia da inflação oficial acumulou em 12 meses até julho 6,40 por cento, desacelerando ante 6,67 por cento em junho, quando na comparação mensal foi registrada alta de 0,38 por cento.

Ambos os resultados ficaram abaixo do esperado em pesquisa realizada pela Reuters, que apontou expectativa de alta de 0,11 por cento em julho ante o mês anterior e de 6,43 por cento na comparação anual.

Os dados reforçam a percepção de que o pico da inflação já passou, e a tendência a partir de agora é de contínua desaceleração em 12 meses.

QUEDAS

Segundo o IBGE, os preços de Transportes registraram recuo de 0,55 por cento em julho após avanço de 0,10 por cento no mês anterior, com impacto de -0,10 ponto percentual no índice do mês.

A queda registrada em Transportes aconteceu após a revogação do aumento das tarifas do transporte público, estopim para os maiores protestos de rua no país em mais de duas décadas.

"A revogação da alta do transporte público vai ajudar o IPCA a ficar perto de zero em julho. Se não fosse isso, haveria alta entre 0,10 e 0,15 por cento", disse o economista da LCA, Fabio Romão, estimando a taxa da inflação ao final do mês negativa em 0,01 por cento.   Continuação...