19 de Julho de 2013 / às 13:57 / em 4 anos

G20 está cauteloso com mercados, promete mudança de política cuidadosa

Por Jan Strupczewski e Gernot Heller

MOSCOU, 19 Jul (Reuters) - O G20, mostrando cautela com a volatilidade do mercado, prometeu nesta sexta-feira mudar a política cuidadosamente e comunicar de forma clara conforme buscam traçar um caminho para a recuperação.

Um esboço final do comunicado preparado para a reunião de ministros de finanças e membros de bancos centrais em Moscou traz que um plano de ação para impulsionar o emprego e o crescimento, enquanto requilibra a demanda global e a dívida, será preparado para seus líderes em setembro.

“Continuamos atentos aos riscos e efeitos colaterais negativos não pretendidos de períodos prolongados de afrouxamento monetário”, mostrou o esboço, obtido pela Reuters.

“Mudanças futuras às determinações de política monetária continuarão a ser cuidadosamente calibradas e claramente comunicadas.”

Os ministros vão revisar o texto em um jantar com as mentes voltadas para as vendas globais em ações e títulos e uma fuga para o dólar, provocadas pelo plano dos Estados Unidos de retirar o estímulo monetário.

Os líderes do G20 se reunirão em São Petersburgo, em setembro.

Um documento preparado pelos técnicos do Fundo Monetário Internacional (FMI) para a reunião de Moscou advertiu que a turbulência no mercado financeiro pode se aprofundar, a menos que os políticos tenham cuidado.

“A atual turbulência do mercado pode continuar e se aprofundar. O crescimento pode ser mais baixo que o projetado devido ao período prolongado de estagnação na zona do euro, e os riscos de uma desaceleração mais longa nos mercados emergentes têm aumentado”, segundo a nota obtida pela Reuters.

“A eventual saída das taxas baixas e da política monetária não convencional em economias desenvolvidas pode apresentar desafios para as economias emergentes, especialmente se a saída avançar rápido demais ou se não for bem comunicada.”

O anúncio há dois meses do chairman do Fed, Ben Bernanke, de que a autoridade monetária norte-americana pode começar a reduzir seu programa de compras de títulos mensais provocou pânico com vendas generalizadas, especialmente em mercados emergentes.

Os investidores se acalmaram nesta semana durante o depoimento ao Congresso de Bernanke, que não está em Moscou, embora ele tenha dito que o fim do plano não foi descartado.

“Claramente existe um temor entre economias do mercado emergente de que após serem inundadas com entradas de capital... podemos estar à beira de uma reversão dessa inundação”, disse uma autoridade do Banco Central Europeu. “Então é importante dissipar essa preocupação.”

CHINA

Fontes do G20 disseram que a China será encorajada a incentivar o crescimento guiado pela demanda doméstica e permitir maior flexibilidade da taxa de câmbio como parte dos esforços mais amplos para requilibrar a economia global.

“Estamos determinados a continuar o progresso com o requilíbrio da demanda global, o que requer o requilíbrio interno através de reformas estruturais e de flexibilidade da taxa de câmbio”, traz o esboço.

Pequim ofereceu um alento nesta sexta-feira, removendo um piso sobre as taxas que os bancos podem cobrar dos clientes por empréstimos, o que por sua vez deve reduzir o custo de empréstimo para empresas e famílias.

Reportagem de Lidia Kelly, Maya Dyakina, Jan Strupczewski, Gernot Heller, Katya Golubkova, Tetsushi Kajimoto e Alessandra Prentice, em Moscou, Anna Yukhananov, em Washington, Se Young Lee, em Seul, Tom Bergin, em Londres, Alonso Soto, em Brasília, Leigh Thomas, em Paris.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below