19 de Julho de 2013 / às 17:23 / em 4 anos

Meteorologia reduz perspectiva de danos ao café com frio na próxima semana

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO, 19 Jul (Reuters) - As perspectivas de danos para lavouras de café com uma onda de frio que chegará ao Sul/Sudeste do Brasil na próxima semana foram reduzidas nesta sexta-feira, à medida que os modelos meteorológicos se consolidam apontando temperaturas não tão baixas, disseram especialistas.

"Os últimos modelos de previsão mantêm as chuvas, mas enfraqueceram um pouco o frio que chega às áreas de café, além de atrasar sua entrada sobre a região Sudeste", disse a Somar Meteorologia em seu boletim diário.

Os futuros do café na bolsa de Nova York chegaram a registrar na quinta-feira o maior valor em quase dois meses, com temores de que geadas poderiam afetar plantações no país que é o maior produtor e exportador mundial do produto. Os preços mantinham a alta nesta sexta-feira, mas operavam abaixo da máxima de 1,34 dólar da véspera.

Meteorologistas alertam que o frio mais intenso vai ficar concentrado na região Sul do Brasil, na sul de São Paulo (próximo à divisa com o Paraná) e em regiões de Mato Grosso do Sul.

Paraná e São Paulo são, respectivamente, o terceiro e o quinto produtores de café do Brasil.

As áreas de maior produção estão em Minas Gerais, abrangendo também regiões do norte de São Paulo.

"Ontem (quinta-feira) havia uma perspectiva de geada para São Paulo na terça-feira. Os modelos meteorológicos de hoje recuaram um pouco", disse à Reuters a meteorologista Aline Tochio, do Climatempo.

Os especialistas lembram que, para a formação de geada, é necessária uma combinação de fatores como céu claro, solo com pouca umidade e ventos fracos, além de temperaturas abaixo de 4 graus, em média.

"A dúvida é quando haverá o ponto de geada", disse a meteorologista do Climatempo, lembrando que os dias anteriores ao frio mais intenso serão bastante chuvosos, elevando a umidade do solo.

A Somar Meteorologia aponta que o avanço do frio, vindo do Sul, está mais lento que o previsto e que agora, ao invés da madrugada do dia 23, as temperaturas mais intensas estão previstas para a noite do dia 23 e madrugada do dia 24, com mínimas de 2 graus no norte do Paraná e sul de São Paulo.

"Ainda temos o risco de algumas geadas fracas e isoladas, mas agora não vemos possibilidade desse sistema trazer frio intenso para as demais áreas produtoras de café, como a Mogiana e o sul de Minas Gerais", disse a Somar.

PARANÁ E TRIGO

Para algumas regiões do Paraná, importante Estado produtor de trigo, há indicativos fortes de geada no início da próxima semana.

"Vai ocorrer um resfriamento no início da próxima semana, e com potencial grande de geada, mas não podemos especificar valores", disse a meteorologista Ana Beatriz Porto, do Simepar, instituto que funciona dentro da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba.

Cerca de 40 por cento das lavouras de trigo do Paraná --que lidera a produção no Brasil junto com o Rio Grande do Sul-- estão em fases vulneráveis ao frio intenso.

"Os modelos continuam colocando um resfriamento para o início da próxima semana, segunda e terça-feira. Mas estamos longe da análise", disse ela, apontando possibilidade de geada mais forte no centro-sul do Paraná.

"Essa massa de ar é muito intensa, talvez a mais intensa do ano", afirmou.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below