Ações da Microsoft têm maior queda desde ano 2000

sexta-feira, 19 de julho de 2013 16:37 BRT
 

(Reuters) - As ações da Microsoft caíram mais de 12 por cento na sexta-feira, maior queda em 13 anos, um dia depois da empresa de software anunciar resultados trimestrais decepcionantes devido à demanda fraca pela última versão do sistema operacional Windows e vendas do tablet Surface abaixo do esperado.

O movimento de venda dos papéis ocorre depois de um momento em que as ações atingiam máximas em relação aos últimos cinco anos e é a maior queda percentual desde abril de 2000, quando a companhia vivia uma disputa antitruste com o governo dos Estados Unidos e a bolha da Internet perdia volume rapidamente.

As perdas de sexta-feira representam cerca de 36 bilhões de dólares de queda no valor de mercado da companhia em um só dia, maior do que o tamanho da rival Yahoo.

As corretoras Raymond James e Cowen & Co reduziram suas recomendações para os papéis da Microsoft para "market perform" (performance em média com o mercado) e pelo menos outras cinco cortaram os preços-alvos em até 3 dólares.

A Microsoft teve lucro trimestral abaixo do esperado, prejudicado por uma baixa contábil de 900 milhões de dólares relacionada ao valor de tablets Surface não vendidos, que tiveram preços de venda reduzidos para atrair compradores.

No início desta semana, a Microsoft disse que estava cortando drasticamente os preços do Surface para atrair consumidores, reduzindo o valor dos aparelhos no seu inventário.

A Microsoft lançou o Surface no ano passado em desafio ao iPad, da Apple, mas as vendas não têm cumprido expectativas.

"Os potenciais motores de crescimento da Microsoft (Windows 8, Surface) parecem estar perdendo força, enquanto entramos no ano fiscal de 2014", disse David Hilal, da FBR Capital Markets, em relatório. Ele afirmou que a receita do Windows no trimestre passado ficou 9 por cento abaixo de suas expectativas.