Governo precisa definir ajuste fiscal claramente, diz Tombini

domingo, 21 de julho de 2013 11:33 BRT
 

SÃO PAULO, 21 Jul (Reuters) - O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, afirmou em entrevista publicada neste domingo que o governo precisa definir "claramente" quais serão os ajustes fiscais e detalhar para a sociedade como serão alcançados.

"O ajuste fiscal não é insensível ao estado da economia. Tanto é que (o superávit primário) já não é mais 3,1 por cento (do PIB), está em outro nível. O importante é que o governo defina e, quando definir, forneça um detalhamento para a sociedade sobre como isso vai ser alcançado", disse o presidente do BC ao jornal O Estado de S. Paulo.

Segundo Tombini, essa definição é importante para a retomada da confiança na economia.

A queda da confiança de empresas e famílias foi apontada pelo BC como fator de risco para o crescimento econômico na última ata do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada na última quinta-feira.

"É necessária uma reversão dessa confiança para a economia continuar no processo de recuperação gradual", afirmou Tombini.

Sobre o nível de atividade econômica, Tombini disse que o Produto Interno Bruto (PIB) "talvez cresça um pouco mais no segundo trimestre do que o 0,6 por cento de janeiro a março."

Questionado sobre os meses de junho e julho, ele disse ainda não ter dados da economia, "mas parece que não está bom".

INFLAÇÃO E CÂMBIO

O presidente do BC reiterou que a inflação medida pelo IPCA deve terminar o ano abaixo da taxa do ano passado, que ficou em 5,84 por cento, e dentro da meta do governo, de 4,5 por cento com margem de dois pontos para cima ou para baixo.   Continuação...

 
Presidente do banco central, Alexandre Tombini, chega para reunião dos ministros das Finanças do G20 durante a reunião da primavera do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial, em Washington, 19 de abril de 2013. Tombini afirmou em entrevista publicada neste domingo que o governo precisa definir "claramente" quais serão os ajustes fiscais e detalhar para a sociedade como serão alcançados. 19/04/2013 REUTERS/Yuri Gripas