ATUALIZA 1-Peugeot negocia com Santander para diminuir controle do governo

segunda-feira, 22 de julho de 2013 12:29 BRT
 

LONDRES/PARIS, 22 Jul (Reuters) - A PSA Peugeot Citroen e o banco Santander estão discutindo uma parceria em uma empresa de financiamento ao consumidor, numa investida que poderia dar à problemática montadora mais liberdade em relação à interferência estatal, e aumentar a presença do banco espanhol na França, disseram fontes com conhecimento do assunto.

A Peugeot mantém conversas para a venda parcial do Banque PSA Finance, o que permitiria ao braço da montadora para financiamentos operar sem os 7 bilhões de euros (9,2 bilhões de dólares) em garantias bancadas pelo Estado, afirmou uma das fontes, que pediu para não ser identificada porque as discussões eram confidenciais.

Santander e Peugeot se recusaram a comentar.

As garantias dadas à Peugeot no ano passado impuseram limites à remuneração dos executivos, cortes de empregos e um conselho diretor nomeado pelo governo, com um resgate da União Europeia ainda sob análise.

De acordo com o Wall Street Journal, primeiro a relatar as negociações, um cenário em consideração prevê uma participação de 50 por cento do Santander no Banque PSA Finance, ou uma joint venture ainda maior.

A Peugeot, montadora mais atingida pelos cinco anos de queda do mercado de automóveis na Europa, teve prejuízo de 5 bilhões de euros no ano passado e ainda está queimando mais 100 milhões de euros em caixa todo mês.

Pessoas com conhecimento direto das finanças da empresa concordam com muitos analistas que, para se recuperar da crise, a Peugeot precisaria de uma nova injeção de capital e uma aliança mais estreita com a General Motors ou outro parceiro industrial.

A família Peugeot, fundadora do negócio, ofereceu-se para abrir mão do controle como parte de um acordo com a acionista GM, que detém 7 por cento da empresa, depois de conversas inconclusivas com a parceira chinês Dongfeng, disseram fontes à Reuters no mês passado.

O Santander, que já é parceiro de financiamento da Peugeot na América Latina, assumiria a maior parte dos empréstimos de refinanciamento na operação conjunta nos termos do acordo discutido, disse uma fonte.   Continuação...