Geadas no Paraná podem elevar importação de trigo, aponta mercado

terça-feira, 23 de julho de 2013 16:36 BRT
 

Por Roberto Samora

SÃO PAULO, 23 Jul (Reuters) - Geadas previstas para os próximos dois dias no Paraná, maior produtor de trigo do Brasil, poderão afetar a qualidade da colheita e reduzir o volume produzido, levando o Brasil buscar uma quantidade ainda maior do produto em países do Hemisfério Norte neste ano, disseram nesta terça-feira um corretor e um executivo da indústria.

O Simepar, instituto de meteorologia do Paraná, prevê geadas em praticamente todo o Estado, inclusive na faixa norte, onde a ocorrência do fenômeno é menos corriqueira, com a mais forte massa polar dos últimos anos avançando sobre as lavouras paranaenses na quarta-feira e na quinta-feira.

O Ministério de Agricultura previu no início do mês que o Paraná poderia produzir 2,7 milhões de toneladas, de um total de 5,6 milhões que o país espera colher este ano.

Com a eventual quebra da produção, o Brasil, que enfrenta no momento uma escassez de trigo e preços em patamares elevados, teria que ampliar ainda mais as compras externas.

"Por mais que não tenhamos um frio muito forte, alguma coisa (da safra) vai pegar, e vai precisar importar trigo de qualidade para mesclar", afirmou um corretor em Campo Mourão, onde o céu abriu nesta terça-feira, favorecendo a ocorrência de geadas na próxima noite.

Segundo o corretor, que pediu para não ser identificado, o problema climático poderia levar o Brasil a importar pelo menos 1 milhão de toneladas adicionais neste ano, além do projetado, considerando que boa parte do cereal paranaense está vulnerável a geadas.

O país já tem recorrido ao trigo de fora do Mercosul para complementar as necessidades internas, após uma quebra de safra no Brasil e nos países do bloco econômico, especialmente na Argentina, que reduziu o plantio na temporada passada.

Por conta dessa escassez, o governo autorizou até o final de agosto uma cota de 2 milhões de toneladas de importações isentas da tarifa de 10 por cento para o trigo cultivado fora do Mercosul.   Continuação...