Lucro da Telefônica Brasil cai 16% no 2o tri por maiores gastos

quarta-feira, 24 de julho de 2013 16:37 BRT
 

Por Alberto Alerigi Jr.

SÃO PAULO, 24 Jul (Reuters)- O lucro líquido da Telefônica Brasil recuou 15,8 por cento no segundo trimestre, por conta de gastos maiores com a rede fixa e despesas com o relançamento da operação de TV paga do grupo, em meio a um cenário de maior concorrência no setor e desaceleração do crescimento do mercado de celulares.

O lucro líquido da empresa, que opera no Brasil com a marca Vivo, ficou em 914 milhões de reais no segundo trimestre, praticamente em linha com o esperado por analistas, ante 1,085 bilhão de reais no mesmo período do ano passado, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira.

A receita operacional líquida da empresa subiu 3 por cento no trimestre, para 8,491 bilhões de reais, enquanto os custos operacionais saltaram 14,9 por cento na comparação anual, para 5,916 bilhões de reais.

A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) recuou 16,7 por cento na comparação anual para 2,575 bilhões de reais. A margem Ebitda recuou de 37,5 no segundo trimestre de 2012 para 30,3 por cento no trimestre passado.

Analistas consultados pela Reuters esperavam lucro líquido de 893 milhões de reais e Ebitda de 2,665 bilhões, com margem de 31,4 por cento.

Além da concorrência acirrada e desaceleração do mercado de celulares, a alta da inflação e a queda de confiança dos consumidores têm atingido o mercado de telecomunicações do país, que registrou o segundo trimestre mais fraco da telefonia celular dos últimos sete anos.

As despesas comerciais da Telefônica Brasil subira 13,9 por cento no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, enquanto os custos de mercadorias vendidas subiram 33,8 por cento e o de serviços prestados avançou 13 por cento.

Os gastos foram impulsionados pela fidelização de clientes na rede fixa e limpeza de base de clientes celulares com foco nos pós-pagos, além do relançamento da TV paga.   Continuação...