Basf afirma que meta de lucro para 2013 é desafio e ações despencam

quinta-feira, 25 de julho de 2013 08:34 BRT
 

FRANKFURT, 25 Jul (Reuters) - O encolhimento dos mercados europeus e o crescimento mais lento na China pesaram sobre lucro do segundo trimestre da Basf, levando a maior empresa de produtos químicos do mundo em vendas a questionar sua meta de ganhos para 2013.

"Atingir nossa meta de lucro é significativamente mais difícil hoje do que esperávamos no início do ano", disse a Basf nesta quinta-feira. A empresa ainda tem como objetivo ultrapassar as vendas e o lucro ajustado antes de juros e impostos entregues em 2012.

As dificuldades atuais significam que as metas de longo prazo do grupo também são desafiadoras, disse o presidente-executivo Kurt Bock a jornalistas.

Às 08h29 (horário de Brasília) as ações da Basf recuavam 4,22 por cento.

No segundo trimestre, o lucro antes de juros e impostos (Ebit) ajustado por itens extraordinários caiu 5 por cento, para 1,8 bilhões de euros (2,38 bilhões de dólares).

O resultado foi 10 por cento menor que o esperado por analistas, que mantinham estimativa média de 2,01 bilhões de euros segundo uma pesquisa da Reuters, agravado pela fraqueza da companhia na divisão de produtos químicos e petroquímicos básicos.

Os ganhos na unidade de comercialização de gás da Basf, que a companhia estava trocando por participações maiores nos campos de gás da Sibéria da Gazprom, também ficaram abaixo da expectativa de mercado devido a margens menores.

A Basf disse que os mercados na Europa, sua região de origem e onde realiza mais da metade de suas vendas, estão encolhendo aos poucos, enquanto o crescimento na China, seu mercado futuro mais importante, perdeu força.

(Por Victoria Bryan e Tom Pfeiffer)