Confiança da construção recua 4,0% no tri até julho--FGV

sexta-feira, 26 de julho de 2013 08:51 BRT
 

SÃO PAULO, 26 Jul (Reuters) - O Índice de Confiança da Construção (ICST) voltou a acentuar sua queda depois de três meses seguidos de melhora, recuando 4,0 por cento no trimestre encerrado em julho na comparação com um ano antes, mostrou a Sondagem Conjuntural da Construção divulgada pela Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta sexta-feira.

No trimestre até junho, o índice havia recuado 3,6 por cento na mesma comparação.

O índice médio dos três meses até julho ficou em 118,8 pontos, o menor da série iniciada em setembro de 2010, contra 123,8 pontos no mesmo período do ano anterior. No trimestre encerrado em junho, o Índice de Confiança da Construção havia ficado em 120,0 pontos.

Dos 11 segmentos pesquisados, sete apresentaram piora, com destaque para Obras de Infraestrutura para Engenharia Elétrica e Telecomunicação, com queda de 14,2 por cento em julho na comparação anual, ante recuo de 12,7 por cento em junho.

A piora do resultado, segundo a FGV, deveu-se tanto à avaliação sobre a situação atual quando às expectativas.

O Índice da Situação Atual (ISA-CST) apresentou queda de 7,8 por cento no trimestre até julho, contra variação negativa de 7,2 por cento em junho. Das 701 empresas consultadas, 24,5 por cento consideraram a situação atual como boa no trimestre encerrado em julho, contra 32,1 por cento no mesmo período do ano anterior. Por outro lado, 15,5 por cento a consideraram ruim, ante contra 10,7 por cento em julho de 2012.

Já o Índice de Expectativas (IE-CST) caiu 0,8 por cento, ante queda de 0,6 por cento no mês anterior. A proporção de empresas prevendo melhora da situação dos negócios no trimestre finalizado em julho caiu a 39,4 por cento, contra 42 por cento no mesmo período em 2012. Já a parcela das que esperam piora subiu a 4,7 por cento, ante 4,0 por cento em julho de 2012.

A FGV também informou nesta sexta-feira que o Índice Nacional de Custo da Construção-M (INCC-M) subiu 0,73 por cento em julho, depois de avançar 1,96 por cento em junho.

Esse foi o terceiro indicador de confiança divulgado nesta semana pela FGV a mostrar recuo, destacando o delicado momento porque passa a economia brasileira.   Continuação...