July 29, 2013 / 12:30 PM / 4 years ago

Economistas reduzem projeção do juro básico em 2014 a 9,25%

3 Min, DE LEITURA

Homem ao lado da sede do banco central em Brasília, 22 de setembro de 2011. Economistas de instituições financeiras mantiveram a perspectiva de que a Selic encerrará este ano a 9,25 por cento e reduziram a projeção para 2014 também a 9,25 por cento, ante 9,38 por cento na semana anterior, de acordo com a pesquisa Focus do Banco Central nesta segunda-feira. 22/07/2011Ueslei Marcelino

Por Camila Moreira

SÃO PAULO, 29 Jul (Reuters) - Economistas de instituições financeiras realizaram pequenos ajustes em suas expectativas econômicas para este ano e o próximo, e veem agora a Selic encerrando 2014 a 9,25 por cento, ante 9,38 por cento anteriormente, de acordo com a pesquisa Focus do Banco Central nesta segunda-feira.

Para 2013, os economistas consultados mantiveram a projeção de que a taxa básica de juros encerrará a 9,25 por cento. E depois de o BC ter elevado a Selic para 8,5 por cento, a expectativa para a reunião de agosto do Comitê de Política Monetária (Copom) é de manutenção do ritmo de aperto com nova alta de 0,5 ponto percentual, repetindo previsão da semana anterior.

Na semana passada, os contratos de juros futuros mais longos chegaram a recuar depois que dados indicando deflação e economia frágil alimentaram a especulação de que o BC conduza um aperto monetário menos agressivo no ano que vem.

Já o Top 5 de médio prazo, com as instituições que mais acertam as projeções nesse período, aponta que a estimativa para a Selic é de 9,50 por cento tanto para este ano quanto para 2014, inalterado ante a semana anterior.

Crescimento E inflação

Depois de 10 semanas de queda, os economistas deixaram inalterada a expectativa para o crescimento da economia neste ano, mesmo diante de novos sinais de falta de confiança no país.

Assim, a expectativa de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) em 2013 ficou em 2,28 por cento. Para 2014 a projeção também foi mantida, em 2,60 por cento.

Dados divulgados na semana passada mostraram que a confiança do consumidor atingiu em julho o menor nível desde maio de 2009, com recuo de 4,1 por cento, devido à baixa satisfação com a atual situação econômica do país. Já a confiança da indústria nesta segunda-feira mostrou queda de 4,0 por cento, para o menor nível desde julho de 2009.

O Focus também mostrou que não houve alteração na projeção para a inflação em 2013, permanecendo em 5,75 por cento. Para 2014, a expectativa foi ligeiramente ajustada a 5,88 por cento, ante 5,87 por cento.

Por outro lado, a projeção para o IPCA em 12 meses foi elevada pela quarta semana seguida, a 5,83 por cento, ante 5,78 por cento na semana anterior.

O Focus mostrou ainda que os economistas elevaram ligeiramente a expectativa para o dólar no final deste ano a 2,25 reais, ante 2,24 reais anteriormente.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below