29 de Julho de 2013 / às 20:27 / 4 anos atrás

Dólar sobe 0,64% e volta ao patamar de R$2,2702, com investidores atentos ao Fed

Por Tiago Pariz

SÃO PAULO, 29 Jul (Reuters) - O dólar fechou em alta ante o real nesta segunda-feira, voltando ao patamar de 2,27 reais, diante da cautela de investidores antes da reunião do Federal Reserve nesta semana, que definirá os rumos da política monetária dos Estados Unidos, e em meio a um mercado com pouca liquidez.

A pressão da cotação teria ocorrido por dois lados, segundo operadores de câmbio: no mercado à vista, com fluxo de saída de divisa norte-americana, e com investidores se desfazendo de posições no mercado de derivativos.

O dólar avançou 0,64 por cento, a 2,2702 reais na venda. O volume de negociação ficou em torno de 1,8 bilhão de dólares, segundo dados da BM&F.

"O ambiente externo pré-Fed está deixando os investidores cautelosos. Está havendo saídas grandes de estrangeiros no mercado de derivativos e de locais no spot (mercado à vista)", afirmou um operador de banco estrangeiro que pediu anonimato.

Segundo ele, os investidores estariam se desfazendo de posições de risco no mercado de dólar futuro e no de cupom cambial, basicamente, afetados pelo mau humor externo.

O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), do Fed, reúne-se na terça e quarta-feira para discutir o andamento da política monetária na maior economia do mundo. Investidores querem sinais sobre quando começará a ser reduzido o programa de estímulo monetário, no valor mensal de 85 bilhões de dólares, o que acabará afetando a liquidez nos mercados financeiros.

Além disso, na mesma quarta-feira será divulgado o crescimento da economia dos EUA no segundo trimestre e, na sexta-feira, dados do mercado de trabalho, o que também deixou investidores apreensivos, uma vez que a taxa de desemprego é uma das principais variáveis que o Fed está observando.

Esse cenário era favorável à valorização do dólar nas praças internacionais. O dólar subia mais de 0,50 por cento ante o peso mexicano, enquanto que o dólar australiano recuava 0,64 por cento em relação à divisa norte-americana.

O estrategista-chefe do banco WestLB, Luciano Rostagno, disse que os rumos do mercado de câmbio brasileiro serão ditados pela decisão Fed sobre a política monetária dos EUA.

"Os investidores vão aguardar com atenção para ver se ele (banco central norte-americano) oferece alguma sinalização de redução do ritmo de compra na próxima reunião em setembro", afirmou Rostagno.

Segundo ele, os novos sinais de fragilidade da economia brasileira também contribuem para a valorização do dólar em relação ao real. Pela manhã, foi divulgado que a confiança da indústria caiu para o menor nível desde julho de 2009.

Edição de Patrícia Duarte

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below