China promete manter crescimento e ajustar política no 2º sem

terça-feira, 30 de julho de 2013 09:35 BRT
 

PEQUIM, 30 Jul (Reuters) - O politburo da China, principal órgão decisório do país, prometeu na terça-feira manter o crescimento econômico estável no segundo semestre ao ajustar as políticas, ao mesmo tempo em que avança com reformas e reestruturação, informou a agência de notícias oficial Xinhua.

Uma reunião do órgão, liderada pelo presidente Xi Jinping, foi a primeira desde que dados oficiais mostraram que o crescimento econômico desacelerou para 7,5 por cento no segundo trimestre, em comparação com os 7,7 por cento dos três primeiros meses de 2013.

As declarações desta terça-feira foram as mais recentes em que líderes afirmaram sua postura de política para a segunda maior economia do mundo, que mostrou desaceleração em nove dos últimos 10 trimestres.

"Autoridades do banco central continuarão a coordenar as múltiplas tarefas de estabilizar o crescimento, reestruturar a economia e promover reformas", disse a Xinhua, citando um comunicado divulgado após a reunião do politburo.

A economia da China enfrenta "condições domésticas e internacionais extremamente complicadas", concluiu a liderança, de acordo com a Xinhua.

Líderes deixaram claro que aceitarão uma desaceleração do crescimento em meio a tentativas de reestruturar a economia, afastando-a da dependência das exportações e da indústria e deixando-a a mais ligada ao consumo e aos serviços.

Entretanto, eles indicaram que não se deve permitir que o crescimento anual caia abaixo de 7 por cento.

Embora o comunicado reafirme as atuais políticas fiscal e monetária, ele diz que "com base em mudanças na situação econômica, vamos ajustar as políticas de maneira preventiva e no momento oportuno, e aumentar o suporte financeiro para a economia real".

O governo também vai buscar uma urbanização "centrada no ser humano" e promover o desenvolvimento estável e saudável do setor imobiliário, completou.

Analistas em pesquisa da Reuters estimam que o crescimento anual do PIB chinês vai desacelerar para 7,4 por cento no terceiro trimestre, estabilizando no último trimestre de 2013. O crescimento para o ano é estimado em 7,5 por cento, em linha com a meta oficial.

(Reportagem de Aileen Wang e Kevin Yao)