Lucro da InBev cresce, apesar de vendas menores de cerveja

quarta-feira, 31 de julho de 2013 07:44 BRT
 

BRUXELAS, 31 Jul (Reuters) - A Anheuser-Busch InBev, maior cervejaria do mundo, vendeu menos cerveja mas fez mais dinheiro que o esperado no segundo trimestre apoiada em aumentos de preços que minimizaram o impacto de enfraquecimento do real e em melhora no desempenho nos Estados Unidos.

A companhia teve queda de 1,2 por cento nas vendas em volume em comparação com o mesmo período do ano passado, mas a receita subiu 3,9 por cento e a companhia reverteu declínio que já durava um ano de sua margem de lucro no Brasil e nos EUA.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) subiu 5,8 por cento, para 3,9 bilhões de dólares, superando ligeiramente expectativa média de analistas de 3,78 bilhões.

Nos EUA, onde a companhia tem quase metade do mercado de cerveja, a receita cresceu graças a aumentos de preços promovidos no final de 2012 e desempenho positivo de novos produtos.

No Brasil, onde a empresa tem dois terços do mercado, a unidade AmBev teve um segundo trimestre consecutivo de queda nos volumes de vendas, um modesto recuo de 0,4 por cento ante queda de 8,2 por cento no primeiro trimestre. A unidade, divulgou nesta quarta-feira lucro líquido de 1,88 bilhão de reais para o segundo trimestre, queda anual de 1,1 por cento.

A InBev informou que foi beneficiada pelo clima e pela Copa das Confederações no Brasil, que adicionaram cerca de 30 milhões de litros.

O vice-presidente financeiro, Felipe Dutra, disse que o evento serviu como bom teste para a Copa do Mundo do próximo ano no país, quando o impulso aos volumes pode ser quatro vezes maior.

(Por Philip Blenkinsop)