Lucro da P&G cai, mas ganho com negócios principais supera expectativa

quinta-feira, 1 de agosto de 2013 09:21 BRT
 

1 Ago (Reuters) - O lucro trimestral da Procter & Gamble com suas atividades principais caiu menos que o esperado e o acumulado do ano deve subir pelo menos o mesmo tanto que em 2012, indicando que a maior fabricante de produtos domésticos do mundo está tendo progressos com o presidente-executivo A.G. Lafley de volta ao comando.

O lucro líquido da companhia caiu quase 50 por cento no trimestre, disse a P&G nesta quinta-feira, mas o lucro com os negócios principais, que exclui diversos fatores e é vigiado de perto por Wall Street, caiu 4 por cento.

Para o ano fiscal de 2014, que começou em julho, a companhia estima aumento de 5 a 7 por cento no lucro principal por ação, já incluindo o impacto cambial de 6 pontos percentuais. No ano passado, esse resultado avançou 5 por cento.

A P&G teve lucro líquido de 1,88 bilhão de dólares, ou 0,64 dólar por ação, no quarto trimestre fiscal, abaixo dos 3,63 bilhões de dólares, ou 1,24 dólar por ação, divulgados um ano antes.

O lucro principal por ação caiu de 0,82 para 0,79 dólar por ação, superando estimativas da própria P&G, que previa uma faixa de 0,69 a 0,77 dólar por ação, e dos analistas, que estimavam lucro principal de 0,77 dólar por ação, em média, segundo a Thomson Reuters I/B/E/S.

As vendas subiram 2,2 por cento, para 20,66 bilhões de dólares, acima das estimativas de analistas de 20,55 bilhões.

Lafley voltou à empresa em 23 de maio para substituir Bob McDonald, dando à fabricante das lâminas de barbear Gillette e das fraldas Pampers apenas algumas semanas para fazer alterações antes do ano fiscal encerrado em 30 de junho.

(Por Jessica Wohl em Chicago)