BCE mantém taxas e não deve haver mudança por "período prolongado"

quinta-feira, 1 de agosto de 2013 14:23 BRT
 

Por Sakari Suoninen

FRANKFURT, 1 Ago (Reuters) - O Banco Central Europeu (BCE) manteve sua principal taxa de juros na mínima recorde de 0,5 por cento nesta quinta-feira, e afirmou que elas ficarão neste patamar por algum tempo e podem ser reduzidas ainda mais.

O presidente do BCE, Mario Draghi, indicou que a política não será apertada até o próximo ano no mínimo, embora o banco central não dê o horizonte de tempo de quando as taxas podem ser alteradas.

"Nossa postura de política monetária... fornece suporte para uma recuperação gradual na atividade econômica pelo resto do ano e em 2014", disse Draghi em entrevista à imprensa.

"O Conselho Diretor confirma que espera que as principais taxas do BCE permaneçam nos níveis atuais ou mais baixos por um período prolongado de tempo", disse ele, afirmando a primeira tentativa de dar orientação futura sobre as taxas, no mês passado.

Isso foi apoiado de modo unânime pelo conselho de 23 membros, disse Draghi.

O BCE também manteve sua taxa de depósito em zero por cento e a taxa de empréstimo em 1 por cento.

Relatórios econômicos mais fortes nos últimos dias sustentam as expectativas do BCE de aceleração mais à frente neste ano, embora as opções de política sofram complicações pelas respostas do mercado aos planos do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, de desacelerar seu programa de estímulo econômico.

"A atividade econômica da zona do euro deve se estabilizar e se recuperar em um ritmo lento. Os riscos que cercam a perspectiva econômica para a zona do euro continuam", disse Draghi.   Continuação...

 
Escultura representando o símbolo do euro é refletida em uma poça em frente à sede do Banco Central Europeu (BCE) em Frankfurt, Alemanha. O Banco Central Europeu (BCE) manteve sua principal taxa de juros na mínima recorde de 0,5 por cento nesta quinta-feira, e afirmou que elas ficarão neste patamar por algum tempo e podem ser reduzidas ainda mais. 21/01/2012 REUTERS/Kai Pfaffenbach