Biosev vê potencial redução da moagem de cana em MS após geadas

quinta-feira, 1 de agosto de 2013 20:53 BRT
 

SÃO PAULO, 1 Ago (Reuters) - A Biosev, divisão de energia da francesa Louis Dreyfus Commodities no Brasil, informou nesta quinta-feira que as geadas registradas na semana passada em Mato Grosso do Sul têm potencial de reduzir a moagem de cana da empresa nas unidades instaladas no Estado.

"As temperaturas no Mato Grosso do Sul caíram abaixo de 0ºC e afetarão o crescimento dos canaviais atingidos, com potencial redução da moagem das unidades industriais da região", afirmou em nota a Biosev, segunda produtora de açúcar e etanol do Brasil, atrás da Raízen, do grupo Cosan.

Segundo a companhia, o "efetivo impacto de tal evento meteorológico somente poderá ser mensurado nas próximas semanas, após a análise cuidadosa de nossos canaviais".

A companhia informou que as "severas geadas" atingiram as regiões central e sul do Estado do Mato Grosso Sul, onde estão localizados os canaviais da companhia que alimentam as três unidades industriais (Maracaju, Passa Tempo e Rio Brilhante), que compõem seu cluster da empresa localizado na região Centro-Oeste do país.

A companhia previu em junho elevar em todas as suas unidades a moagem de cana em 12 por cento em 2013/14, na comparação com a temporada passada, para 33 milhões de toneladas.

A Reuters noticiou na quarta-feira, com base em dados da consultoria Datagro, que as geadas danificaram 18 por cento das 365 milhões de toneladas de cana-de-açúcar remanescentes da safra 2013/14 de toda a região centro-sul do país, potencialmente reduzindo a produção do Brasil, no maior exportador mundial de açúcar.

Segundo a consultoria, as geadas severas entre os dias 24 e 25 de julho em algumas áreas produtoras, principalmente no Paraná e em Mato Grosso do Sul, podem ter destruído campos inteiros.

Os danos causados pelas geadas só poderão ser estimados em cerca de uma semana, segundo a Datagro.

"Assim que disponíveis, informações adicionais acerca deste impacto serão fornecidas ao mercado", completou em nota a Biosev.

As geadas da semana passada afetaram também áreas de trigo, café, hortaliças e pastagens do Brasil.

(Por Roberto Samora)