PMI de serviços do HSBC para a China mostra alguma resiliência

segunda-feira, 5 de agosto de 2013 07:37 BRT
 

PEQUIM, 5 Ago (Reuters) - A atividade no setor de serviços da China desafiou a desaceleração econômica do país para crescer modestamente em julho, mostrou nesta segunda-feira a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês), à medida que as novas encomendas se recuperaram de mínimas de vários anos, em um raro sinal de resiliência.

Mas isso foi compensado por uma queda nos preços cobrados pelas empresas para mínima de nove meses, sugerindo que a demanda ainda está muito fraca para que elevem os preços, conforme as expectativas de negócios rondam o menor nível desde 2005.

O PMI do Markit/HSBC para o setor de serviços atingiu 51,3 em julho, inalterado ante junho e pouco acima da mínima de 20 meses de 51,1 atingida em abril.

Leitura acima de 50 sugere que o setor cresceu na comparação com o mês anterior, enquanto abaixo desse nível indica contração.

"O setor de serviços da China se estabilizou em um nível relativamente baixo de crescimento", disse Qu Hongbin, economista do HSBC.

"Mas as margens de lucro continuam a sofrer pressão. Sem uma melhora sustentada na demanda, o crescimento de serviços de deve continuar sem brilho, pressionando para baixo o crescimento do emprego."

O subíndice para novas encomendas se recuperou para 52,3 ante a leitura de junho, que foi a mais baixa em mais de quatro anos.

Um pesquisa oficial similar divulgada no sábado mostrou que o setor de serviços acelerou em julho, uma vez que as medidas de suporte para pequenas empresas ajudou a melhorar a confiança.

(Reportagem de Koh Gui Qing)