Vendas no varejo da zona do euro voltam a cair em junho

segunda-feira, 5 de agosto de 2013 08:47 BRT
 

Por Martin Santa

BRUXELAS, 5 Ago (Reuters) - As vendas no varejo da zona do euro caíram com força pela primeira vez em três meses em junho, mostraram dados, ressaltando o peso dos fracos gastos domésticos sobre a recuperação frágil do bloco.

O Banco Central Europeu está esperando uma melhora gradual ainda neste ano na economia da zona de 17 membros, que deve ser liderada principalmente por exportações e por taxas de juros baixas.

A França foi contra a tendência, registrando um aumento no comércio varejista, mas para o bloco em geral os volumes diminuíram 0,5 por cento no mês, em linha com as expectativas. Isso seguiu um aumento revisado de 1,1 por cento em maio, mostrou a agência de estatísticas da zona do euro, Eurostat.

A zona do euro está em sua recessão mais longa desde a criação da moeda comum em 1999, que tem levado o bloco a registrar taxas de desemprego altas e deixado as famílias com menos dinheiro para gastar.

As vendas no varejo caíram 0,9 por cento na comparação anual, diante de expectativas de queda de 1,2 por cento por economistas consultados pela Reuters, seguindo um aumento revisado de 0,3 por cento em maio.

"Os dados negativos de crescimento das vendas no varejo em junho são provavelmente apenas uma correção após o forte aumento em maio, e não o início de uma renovada tendência de baixa", disse o economista-chefe para zona do euro do ING, , Peter Vanden Houte.

Os consumidores na zona do euro gastaram mais com combustível de automóveis em junho, mas não foi o suficiente para compensar uma queda de 0,6 por cento nos gastos com alimentos, bebidas e tabaco, e uma queda de 0,2 por cento nas compras de outros itens como eletrônicos, vestuário e bens voltados para Internet.

As vendas no varejo na maior economia do bloco, Alemanha, recuaram 1,5 por cento, a maior queda mensal desde dezembro do ano passado. A França, a segunda maior economia, registrou um aumento de 0,6 por cento.

(Reportagem de Martin Santa, reportagem adicional de Ingrid Melander em Paris)