Produtora de borracha Lanxess vê desaceleração na China e Brasil

terça-feira, 6 de agosto de 2013 07:59 BRT
 

FRANKFURT, 6 Ago (Reuters) - A Lanxess, maior fabricante de borracha sintética para pneus do mundo, alertou sobre uma queda maior que a esperada no lucro de 2013 à medida que montadoras de veículos não têm mostrado recuperação e em meio à desaceleração do crescimento da China.

"As condições de negócios continuam duras e a frágil confiança da Europa é agora evidente em outros mercados importantes para nós, como a China e o Brasil", afirmou a companhia alemã nesta terça-feira.

O grupo informou que o lucro ajustado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) vai cair para entre 700 milhões a 800 milhões de euros (927 milhões a 1,1 bilhão de dólares), ante resultado positivo de 1,23 bilhão em 2012. Analistas, em média, esperam 843 milhões de euros.

A Lanxess, que compete com a Exxon Mobil no mercado de borracha sintética para pneus, tubos e vedantes de janelas, obtém mais de 40 por cento de suas vendas do setor automotivo.

As vendas de carros na Europa no primeiro semestre caíram para o menor nível em 20 anos, sugerindo nenhum alívio para uma indústria marcada por excesso de capacidade e demanda fraca.

"Em contraste com as expectativas de maio, a Lanxess não espera qualquer melhora nas condições de negócios no segundo semestre", disse a companhia.

"Os clientes continuam consumindo seus estoques, principalmente na Ásia, e a confiança dos consumidores no geral continua fraca", afirmou a empresa, que obtém cerca de 25 por cento de sua receita da Ásia.

A Lanxess informou ainda que sua meta para Ebitda ajustado em 2014, de 1,4 bilhão de euros, não é mais realista. Analistas, em média, têm previsto lucro de 1,1 bilhão de euros.

(Por Maria Sheahan)