Governo vê investimento de R$5 bi com mais 12 portos privados

terça-feira, 6 de agosto de 2013 14:43 BRT
 

BRASÍLIA, 6 Ago (Reuters) - A Secretaria de Portos abriu nesta terça-feira o processo para a instalação e operação de mais 12 terminais de uso privado (TUPs) e ampliação de duas áreas já existentes, totalizando 5 bilhões de reais em investimentos previstos em três anos.

Esse é o segundo anúncio feito pela secretaria para construção terminais privados dentro do novo marco regulatório do setor portuário, que visa ampliar a infraestrutura do país com redução de custos.

O primeiro ocorreu em julho, quando foi divulgada a instalação de 50 terminais a serem operados pela iniciativa privada, com estimativa de investimento de 11 bilhões de reais.

A partir do anúncio, outras empresas interessadas em operar em alguma das áreas têm 30 dias para manifestarem-se. Se houver mais de um interessado, haverá processo seletivo.

Dos 12 terminais de uso privado anunciados nesta terça-feira, o maior está previsto para a cidade de Linhares, no Espírito Santo, para armazenagem e movimentação de minério. A empresa Manabi Logística pretende investir 2 bilhões de reais na área.

A região Sudeste terá um segundo terminal de pequeno porte no Rio de Janeiro para uso no setor de turismo, estimado 3,5 milhões de reais. Também é a região da ampliação de outros dois terminais já em atividade, um no Rio de Janeiro, operado pela Brasfels, e outro em Cubatão (SP), operado pela Ultrafértil.

Outros seis empreendimentos serão instalados na região Norte representando 346 milhões de reais em investimentos. O Centro-Oeste contará com 3 terminais, totalizando 26 milhões de reais. Já a região Sul contará com um empreendimento, que exigirá de 316 milhões de reais.

"Fizemos dois anúncios em 30 dias, esse é um importante investimento privado para aumento da capacidade do setor portuário", comentou o ministro da Secretaria de Portos, Leônidas Cristino.

As empresas que forem autorizadas a instalar os terminais terão prazo de 3 anos para realizar o investimento e começar a operar, sob risco de perderem a autorização.   Continuação...