Partilha do petróleo adotada no Brasil é inédita no mundo, diz Total

terça-feira, 6 de agosto de 2013 14:49 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 6 Ago (Reuters) - O modelo de partilha elaborado pelo Brasil para a exploração do petróleo do pré-sal não existe em nenhum lugar do mundo, com peculiaridades que precisam ser estudadas profundamente pelas empresas, afirmou o presidente da francesa Total no Brasil, Denis Palluat.

O executivo, que participou da assinatura de contratos de concessão da 11a Rodada nesta terça-feira, disse que a Total está avaliando sua participação no leilão da área de Libra, previsto para outubro.

"Claro que Libra é uma oferta interessante... evidentemente atraente... mas precisamos estudar, principalmente porque é um contrato totalmente novo, inédito no mundo", afirmou ele.

O ineditismo, segundo ele, é marcado por exemplo pelo grande poder dado à estatal do pré-sal, que terá poder de veto e outras atribuições nas decisões tomadas acerca dos campos do pré-sal que serão ofertados, inclusive o de Libra.

"A PPSA (Pré-Sal Petróleo SA) tem muito poder sem investir", acrescentou.

A área de Libra é a maior reserva de petróleo do Brasil, com estimativas das reservas recuperáveis que poderão atingir de 8 a 12 bilhões de barris.

A ANP recebeu dezenas de sugestões para os contratos de partilha para a área de Libra, a ser leiloada sob o novo modelo.

A audiência pública para encerrar a coleta de sugestões das empresas e sociedade civil ocorre nesta terça-feira, e a agência deverá tornar definitivas as minutas do edital para o leilão e para o contrato até o final de agosto, afirmou o diretor da reguladora, Helder Queiroz.

(Reportagem de Sabrina Lorenzi e Rodrigo Viga Gaier)